<
>

Palmeiras: Conselho Deliberativo aprova contas de 2018, com faturamento recorde na história

play
No Palmeiras, Moisés defende Felipão: 'Querem mudar a todo custo uma forma do treinador trabalhar' (1:41)

Atleta alviverde falou sobre as críticas ao estilo de jogo da equipe (1:41)

O Conselho Deliberativo (CD) do Palmeiras aprovou na última segunda-feira, sem ressalvas, as contas do clube em 2018.

No dia 26 de fevereiro, o COF (Conselho de Orientação e Fiscalização) havia apresentado os números da temporada passada, com destaque para o faturamento de R$ 688,572 milhões, simplesmente o maior da história alviverde.

A equipe do Palestra Itália ainda fechou o ano no azul: além de ter conquistado o Campeonato Brasileiro, encerrou 2018 com lucro de R$ 30,7 milhões.

Ademais, o patrimônio líquido acumulado é de R$ 59,6 milhões.

Faltava só a chancela do CD, que veio na última segunda-feira, após reunião na sede social palestrina, em que o balanço da última temporada foi debatido e votado pelos conselheiros.

Para 2019, o orçamento estimado do clube paulista é de R$ 561 milhões, também já aprovado.

Vale lembrar, porém, que o Palmeiras não trabalha com a verba de TV neste ano, já que segue sem fechar acordo com a TV Globo para a transmissão de seus jogos, como mostrou a ESPN recentemente.

Se chegar a um consenso com a emissora, o caixa palestrino ganhará ainda um bom reforço.

NOVOS MEMBROS NO COF

Também na última segunda-feira, o COF realizou suas eleições e elegeu 15 representantes fixos e sete suplentes para o órgão.

Entre os eleitos, nove dos 15 agora são da situação, mostrando a força do grupo de Maurício Galiotte nos bastidores.

No entanto, o COF também é composto peles ex-presidentes do clube que ainda estão vivos. Nomes como Mustafá Contursi, Arnaldo Tirone, Afonso Della Monica e Carlos Bernardo Facchina reforçam a oposição.

Paulo Nobre e Luiz Gonzaga Belluzzo, por sua vez, não têm participado da vida política do clube.