<
>

12 a 0 para o Real Madrid: por que Barcelona não demite seus técnicos?

play
Champions League: quem avança em cada confronto e quem será campeão? BB Debate faz seu chaveamento (3:59)

Sorteio das quartas de final aconteceu nesta sexta-feira (3:59)

Após a demissão de Santiago Solari nesta segunda-feira, o Real Madrid apresentou Zinedine Zidane como o terceiro técnico da temporada.

Demitir um técnico é algo comum dentro do Santiago Bernabeu, mas o principal rival do clube, o Barcelona, opera de forma muito diferente.

A última demissão de um treinador do Barcelona aconteceu na temporada de 2003, quando Louis Van Gaal deixou o clube.

Desde de então foram três presidentes diferentes (Joan Laporta, Sandro Rosell and Josep Maria Bartomeu), sendo que nenhum determinou a saída de um técnico do cargo. Desde de 2003, o Barcelona trocou de comando seis vezes, sendo que nenhum treinador chegou a ser demitido.

Frank Rijkaard, que assumiu depois de Van Gaal, ficou com o clube por cinco temporadas. Apesar de sofrer no primeiro ano, Laporta manteve ele no cargo do clube.

Em 2008, após vencer a Champions League, o técnico deixou o comando do clube. O então presidente tentou manter o holandês, mas o treinador decidiu sair e abriu espaço para que Pep Guardiola assumisse a equipe.

O entendimento é que Pep poderia ficar no clube até quando bem entendesse. Após a acabar a temporada de 2012 sem vencer a Champions e o Campeonato Espanhol, o treinador decidiu deixar o comando do Barcelona e se mudou para Alemanha, para assumir o cargo do Bayern de Munique.

Tito Vilanova assumiu o Barcelona, mas deixou o cargo após uma temporada. O espanhol deixou em 19 de junho de 2013, após sofrer com um câncer na garganta. Em sua passagem, ele teve um aproveitamento de 76,7%, acumulando 43 vitórias em 60 jogos.

Tata Martino também ficou somente uma temporada no cargo e deixou o clube de forma polêmica.

Na temporada de 2013-2014, o argentino não foi campeão com o Barcelona. Após liderar a LaLiga por 25 rodadas, o treinador viu o título escapar no último jogo do ano, quando empatou com o Atlético de Madrid, em pleno Camp Nou. Após o fracasso, a diretoria anunciou um acordo comum com o técnico e que ele havia optado por deixar o comando do clube.

Assim, Luís Enrique se tornou técnico do Barça, onde ficou por três temporadas e conquistou cinco títulos. Em 2017, após encerrar seu contrato, o treinador deixou a equipe da Catalunha.

Agora, Ernesto Valverde, o sexto técnico desde 2003, anunciou que ficará mais um temporada com o Barcelona. Na atual temporada, o clube lidera o Campeonato Espanhol, está na final da Copa do Rei e nas quartas de finais da Champions League, mantendo o sonho da tríplice coroa.

O Real Madrid por sua vez, conta nos dedos quantos técnicos deixaram o clube por conta própria. Apenas Vicente del Bosque, José Mourinho e Zinedine Zidane optaram por sair, sendo que os dois primeiros deixaram Madri no final do contrato.

Desde de 2003, a diretoria do Real demitiu doze técnicos. Carlos Quieroz, Mariano Garcia Remon, Vanderlei Luxemburgo, Fabio Capello, Bernd Schuster, Mauricio Pellegrini, Carlo Ancelotti, Rafa Benitez, Julen Lopetegui e Santiago Solari foram demitidos durante o período.

Além de viverem momentos diferentes na atual temporada, os principais clubes da Espanha têm posturas diferentes. Agora, resta saber tem mais chances de ser demitido no futuro próximo: Zidane ou Valverde?