<
>

Fifa aprova novo Mundial de Clubes para 2021 e agora tenta convencer europeus a disputar

play
Copa do Mundo de Clubes seria uma grande bobagem, diz Rômulo: 'Mundial já existe anualmente, é a Champions' (1:11)

Fifa quer fazer grande competição de clubes a cada quatro anos (1:11)

O Mundial de Clubes terá um novo formato a partir de 2021. A decisão foi anunciada nesta sexta-feira, em Miami, nos EUA, pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, em entrevista coletiva após o encontro do Conselho da entidade. A disputa terá 24 clubes e acontecerá no meio do ano.

O período escolhido é o mesmo em que acontecia a Copa das Confederações, torneio visto como superado pela Fifa. Assim, o Mundial passará também a ser disputado de quatro em quatro anos, substituindo, portanto, a antiga competição de seleções.

“Hoje estou especialmente feliz porque tomamos uma decisão, na verdade várias, mas uma especificamente, que teremos em 2021 um real Mundial de Clubes. Que terá um impacto fantástico no futebol mundial. Estou extremamente feliz”, celebrou Infantino

“A partir de agora, o mundo verá um verdadeiro Mundial em que os melhores do mundo competirão pelo título. O que é melhor do que um verdadeiro Mundial no lugar do que temos agora? Essa decisão foi tomada depois de um longo processo, muitas discussões, diferentes opiniões. Foram várias boas discussões com a Uefa, diálogo construtivo”, seguiu.

A menção específica aos europeus se deve à ameaça de boicote da Associação Europeia de Clubes (ECA), presidida por Andrea Agnelli, dirigente máximo da Juventus, que, representando as maiores equipes do continente, garantiu que os times não disputariam o novo Mundial.

A Fifa confia na participação dos europeus ao dizer que será um torneio de duas semanas a cada quatro anos, portanto, com pouco impacto no calendário. Infantino, porém, não deu mais informações como funcionará o Mundial, mas espera contar com os gigantes do Velho Continente.

“Esperamos que todas as melhores equipes participem, como disse. Tivemos várias discussões positivas, e a visão da Fifa e seu presidente é incluir a todos. Vamos continuar discutindo, porque estamos falando de dois anos e meio. Temos questões a lidar.”

Infantino adiantou, no entanto, que a competição, apesar de substituir a Copa das Confederações, não acontecerá no Catar, palco da Copa do Mundo de 2022.

“A decisão que tomamos hoje é disputar no lugar da Copa das Confederações no referente às datas. Depois, discutiremos detalhes, como será organizado este Mundial. Para 2021, não vamos jogar no Catar pelo período do ano, é muito quente. Tanto que a Copa será no fim do ano. Vamos ver ainda onde será o local desse Mundial. Será fenomenal para os fãs de futebol.”