<
>

Corinthians: Fernando Baiano conta como quase foi para o Bayern após ser artilheiro na Libertadores

play
Corinthians tem contratação surpreendendo e decepcionando: veja quem está de qual lado (4:53)

Comentaristas do ESPN Bom Dia analisaram o início de ano dos reforços (4:53)

Há 20 anos, o Corinthians conquistava uma goleada histórica ao derrotar o Cerro Porteño, do Paraguai, por 8 a 2, em duelo válido pela primeira fase da Copa Libertadores de 1999.

O duelo ficou na memória de Fernando Baiano, um então menino de apenas 19 anos, que foi autor de cinco gols naquela noite.

“Os mais velhos sempre lembram desse jogo, mesmo sendo há muito tempo atrás. Tenho recordações maravilhosas daquela época”, afirma o atacante para a ESPN.com.br.

Cria da base do Corinthians, o jogador entrou no lugar de Marcelinho Carioca, que na ocasião estava suspenso, e deixou o seu nome marcado por ser o atleta que mais vezes marcou em uma única partida dentro da competição sul-americana pelo time alvinegro.

Aliás, por muito pouco ele não anotou o sexto, já que ele desviou uma bola de Índio para o fundo das redes, mas o juiz deu o gol para o lateral.

A bela atuação contra o time paraguaio lhe rendeu o prêmio de um dos artilheiro da competição daquela edição, acendendo os holofotes de grandes clubes de todo o mundo.

Porém, o desejo do Corinthians de segurar o atleta falou mais alto e ele permaneceu no Parque São Jorge.

“Eu tive algumas sondagens. Lembro que o Bayern de Munique quis me contratar, mas o Corinthians e o meu empresário pediram um valor muito alto e acabou não dando certo”, confirma Fernando. “Mas tenho muito a agradecer ao clube. Foi o clube que me revelou e, por isso, tenho muito apreço”, completa.

Formado nas categorias de base do Corinthins, o atacante subiu aos profissionais em 1998, mas só ganhou projeção no ano seguinte, quando voltou aos juniores.

"Morei nos alojamentos antes de chegar ao time de cima. Lembro de cada detalhe. Saímos da Taça São Paulo de 99 campeões contra o Vasco com uma vitória por 1 a 0. Aí, minha carreira passou a subir. Ganhamos o Paulista pelo profissional e fui artilheiro da Libertadores", relatou.

Fernando se firmou entre os profissionais e foi campeão do Brasileiro de 1999 e do Mundial de Clubes de 2000, em pleno Maracanã contra o Vasco. Ele converteu uma das cobranças de pênaltis na disputa da final que deu o título para a equipe alvinegra.

"Só tenho lembranças maravilhosas de jogar com tantos jogadores consagrados e eu era tão novo. Tinha só 19 anos e fiz parte da história do Corinthians", contou.

Em 2002, Fernando Baiano saiu do time alvinegro e rodou por alguns outros clubes como Internacional, Flamengo e Wolfsburg-ALE até chegar à Espanha, onde o atacante se firmou.

Lá, ele atuou por Málaga, Celta de Vigo e Real Múrcia, fazendo no total 121 partidas e 46 gols.

“Fiz grandes jogos na Espanha. Cheguei ao Málaga e salvamos o time do rebaixamento de LaLiga. Depois disso, o Celta de Vigo me contratou para jogar a Liga Europa, onde estavam atuando grandes atacantes, como Ronaldo, Forlán e David Villa. Todos nós brigando pela artilharia”, relembra o atleta.

“Mas os jogos do Real Madrid e o Barcelona eram sempre os mais especiais. Fico feliz de ter marcado gols contra o Barcelona de Ronaldinho e Eto’o, mesmo perdendo a partida por 3 a 2. No time de Madri eu não marquei, mas já venci duas vezes dentro do Santiago Bernabéu”, completa.

Diante de tantos craques, Fernando lembra com muita clareza de David Silva. Hoje, atuando no Manchester City, o espanhol jogou com o brasileiro no Celta de Vigo, quando tinha apenas 18 anos.

“Ele já mostrava ser craque e agora está muito bem na Inglaterra e, além disso, é campeão do mundo com a Espanha. Ele era gente boa. Muito quietinho, só ficava alegre quando tomava uma cerveja. Muito legal ver o quanto ele evoluiu”, afirma o jogador criado na base do Corinthians e que está aposentado desde 2014.