<
>

Sem resposta por Jorge, Santos cogita desistir de contratação

play
Rômulo Mendonça detona Cueva, fora de jogo da Copa do Brasil: 'Desrespeita o clube que defende' (1:13)

O meio-campista perdeu os dois treinamentos de terça-feira e avisou na segunda sobre problemas no voo do Peru para o Brasil. (1:13)

Há uma semana, em entrevista à Rádio Bandeirantes, o presidente do Santos, José Carlos Peres, previu desfecho pela negociação com o lateral esquerdo Jorge “nas próximas horas”. Na última quarta-feira, a mesma frase foi utilizada. E o tempo passa sem o desfecho das tratativas encaminhadas no dia 19 de fevereiro, há quase 20 dias.

Em contato com a Gazeta Esportiva na última sexta-feira, o presidente reafirmou a falta de resposta do Monaco pelo empréstimo até o fim de 2019. O Porto, com contrato até junho, já liberou o jogador de 22 anos.

O Peixe alega mudança na diretoria do Monaco como motivo pela demora.

O novo vice-presidente de futebol da equipe do Principado, Oleg Petrov, não participou do início das conversas e agora pede dinheiro pelo empréstimo, além de titularidade obrigatória. Outro entrave é o valor de compra fixado.

Diante desse cenário, o Alvinegro cogita desistir da contratação.

Parte da diretoria vê o elenco bem servido com Felipe Jonatan e Alan Cardoso, recém-chegados de Ceará e Vasco, respectivamente.

O técnico Jorge Sampaoli, porém, pediu por Jorge e espera por mais uma opção para a posição. Orinho, ala de origem, não agrada.

O Santos espera por uma definição nos próximos dias. Há, porém, mais 25 dias com a janela de transferências do exterior aberta.