<
>

Bombou! Nova camisa do Palmeiras, provocação de Gabigol e Centurión esgotando paciência do Racing

A sexta-feira foi agitada no noticiário do futebol nacional pelos mais diferentes motivos.

No Palmeiras, a Puma, fornecedora de material esportivo do clube, divulgou uma nova camisa que será em homenagem a ninguém menos que "São" Marcos.

Enquanto os palmeirenses tiveram uma boa notícia, a situação é diferente no Fortaleza, que após encantar no futebol brasileiro em 2018, agora vive uma situação ruim no Campeonato Cearense, no qual figura na quinta colocação. A equipe comandada por Rogério Ceni vem de quatro jogos sem vencer na temporada. O técnico sente falta de Gustagol, que tem brilhado no Corinthians em 2019.

Já no Flamengo, o assunto foi a repercussão sobre a tradicional comemoração de gol de Gabriel, com o gesto para indicar força. Ele deu uma leve provocada em Jael, após discussão sobre quem foi o primeiro a usar esta celebração.

Outro assunto que deu o que falar foi a situação de Ricardo Centurión no Racing, conforme publicou o jornal Clarín.

De acordo com a publicação, o ex-atacante do São Paulo esgotou a paciência do clube argentina, que nem avaliou oferta de quase R$ 2 milhões de uma equipe brasileira.

Por falar em polêmica, o Real Madrid demitiu o técnico Alvaro Benito, que comandava a equipe juvenil B, de jovens entre 17 e 19 anos, do clube, depois de ele ter criticado a atuação de jogadores como Casemiro e Toni Kroos após a derrota por 3 a 0 para o Barcelona. Quem deve assumir o cargo é o ex-atacante Raúl González, ídolo dos merengues.

Veja abaixo as principais notícias desta sexta-feira:

Após discussão sobre comemoração, Gabigol provoca Jael, ex-atacante do Grêmio: 'G vem antes do J'

Técnico da base do Real critica Casemiro, é demitido, e ídolo Raúl deve assumir

Palmeiras lança nova camisa, azul, réplica do uniforme de 'São' Marcos em 1999

Ceni corre risco com Fortaleza no Cearense e sente saudade de Gustagol: 'Infelizmente cabeçadas não são mais dele'

Ex-São Paulo esgota paciência do Racing, que nem avalia oferta brasileira de quase R$ 2 milhões, diz jornal