<
>

Bundesliga: Nagelsmann, técnico sensação do Hoffenheim, inova com uso de tecnologia

Julian Nagelsmann é um pioneiro por si só. Assumiu o Hoffenheim em fevereiro de 2016, sendo, aos 28 anos, o mais novo na história de um time da Bundesliga.

Desde então, comprovou ser um talento precoce, pegando um time que lutava contra o rebaixamento. Depois de evitar a queda nos primeiros meses, ele conseguiu um quarto lugar em 2016-17 e a um terceiro lugar em 2017-18, melhores desempenhos na história de um clube que chegou à elite nacional somente em 2008-09.

Nesta temporada, a equipe de Sinsheim jogou a fase de grupos da Uefa Champions League de forma inédita.

Um dos motivos para justificar o sucesso de Nagelsmann é o seu perfil estudioso e conhecedor tático e que está disposto a utilizar inovações em seu dia a dia.

O site oficial da Bundesliga apontou que no meio de 2017 o clube colocou um telão de 6x3m na linha lateral. Quatro câmeras ajudam o treinador a acompanhar de uma forma mais detalhada e poder assim corrigir detalhes com mais precisão.

São duas câmeras em uma torre que fica na linha do meio de campo e uma atrás de cada gol. O controle das imagens fica a cargo da comissão técnica, que pode parar, avançar ou voltar.

Nagelsmann pode fazer suas considerações por meio de um iPad, assim como analisar o adversário no gramado, não necessitando de uma sala especializada para exibição de vídeos.

“Podemos deixar os jogadores nas posições deles durante a maioria das situações de partida, mas ainda assim mostrar soluções a eles”, afirmou o treinador de 31 anos, segundo o site do Campeonato Alemão. “Para isto, eu tenho um iPad na minha mão que eu posso usar para controlar as câmeras. Quando eu paro uma situação, eu tenho a oportunidade de desenhar minhas soluções e sugestões para uma melhora de todos desde o iPad”.

"Eu tive um monte de grandes treinadores como jogador, mas poder ter a experiência (de trabalhar com Nagelsmann) foi realmente interessante. Eu nunca experienciei uma sessão de treino como a dele, uma sessão de treino que demandava tanto da cabeça", afirmou o ex-atacante Kevin Kuranyi.

A aposta na tecnologia é algo que também representa uma marca do próprio Hoffenheim, que tem como dono Dietmar Hopp, um bilionário alemão e um dos fundadores da empresa de software SAP. Em 2014, o clube aderiu ao sistema Footvonaut, que ficou famoso pelo Borussia Dortmund dois anos antes. A tecnologia trata-se de um espaço fechado em que um atleta vai recebendo bolas e deve, em questão de instantes, fazer o passe para o local determinado.

Atualmente na oitava colocação da Bundesliga, o Hoffenheim segue firme na disputa por uma vaga na Liga Europa, o que seria uma despedida muito digna de Nagelsmann. Isso porque o treinador irá comandar o RB Leipzig a partir do segundo semestre.