<
>

Real Madrid: Mariano foi contratado para substituir Cristiano Ronaldo, mas foi ofuscado por Vinicius Jr.

Dono da camisa 7 do Real Madrid desde que Cristiano Ronaldo saiu para a Juventus, Mariano Diaz foi contratado como uma grande esperança. Nada disso aconteceu.

Além disso, viu o brasileiro Vinicius Jr., de apenas 18 anos, virar titular indiscutível e ganhar todos os holofotes no Santiago Bernabéu. A volta do atacante espanhol de 25 anos ao time que o revelou por enquanto não é do jeito que sonhava.

Formado nas categorias de base do Real Madrid, Mariano jogou pelo time principal em 2016, jogou apenas 302 minutos e marcou cinco gols (uma média de um gol a cada 60 minutos) antes de ir ao Lyon, em 2017.

Vendido por oito milhões de euros ao time francês, ele marcou 21 gols e sete assistências em 44 jogos.

“O Mariano é um excelente jogador além de ser uma excelente pessoa e mantemos contato. Ele é goleador, jogador que dentro da área é muito bom. Fora da área sabe se colocar muito bem. É forte e bom tecnicamente, não é limitado e sabe o que faz com a bola. É matador e procura sempre o gol", disse Fernando Marçal, que jogou com Mariano no Lyon, ao ESPN.com.br.

"Muitas vezes falávamos: ‘Você poderia ter tocado’. Mas você vê que ele abaixava a cabeça e olhava o gol. Ele tem faro de gol e acho que é um jogador que vai evoluir muito. Quando ele entrava em campo acabava decidindo mesmo quando o time não estava bem. Ano passado ele fez isso e nos deu a vitória várias vezes”, explicou.

Segundo Fernando Marçal, Mariano gostava de interagir com os outros brasileiros - Marcelo e Rafael - do Lyon.

“Ele sentava ao meu lado no vestiário, é um cara muito tranquilo e conversava de boa. Sempre perguntava do meu filho, que gosta muito do Mariano e o imitava nas comemorações quando jogava bola. Ele é jovem e excepcional, um cara bom de vestiário e trabalhador”, elogiou.

A temporada fora da Espanha fez Mariano ser cobiçado por vários clubes, mas foi o Real Madrid que levou a melhor, ao pagar 21,5 milhões de euros (R$ 91,50 milhões) e trazer de volta sua antiga cria.

“Eu acho que ele não deveria ter voltado ao Real Madrid. Por que é um clube que já o conhece. Quando um jogador sai de um lugar que não foi totalmente valorizado e tem chance de ir para outro clube deve ir. Mas quem iria negar o Real Madrid? Ele tinha feito uma temporada estrondosa. Se tivesse ido para o Sevilla, que era outro interessado nele, estaria jogando mais e sendo mais falado”, opinou Marçal.

Só que o atacante espanhol resolveu voltar ao Bernabéu para usar o número que antes pertencia ao seu ídolo.

“Ele sempre comentava que igual ao Cristiano Ronaldo não existia. Até no estilo de jogo, o Mariano é 'muito Ronaldo'. Cai sempre dos dois lados, procura sempre um jeito de finalizar. Ele é muito possante e tem arrancada. Falava muito bem do CR7 para nós”, contou.

Na atual temporada, Mariano Diaz enfrenta inúmeras dificuldades para vencer a concorrência de Gareth Bale, Karim Benzema, Marco Asensio, Lucas Vázquez, Borja Mayoral e Vinicius Jr. no ataque dos merengues. Foram apenas 14 jogos (como titular) e apenas dois gols marcados.

Além da má fase dentro dos gramados, Mariano Díaz causou uma confusão ao chegar no treinamento do Real Madrid dirigindo um carro ‘Wraith’, da marca Rolls-Royce, que vale R$ 1,1 milhão na Espanha.

O problema é que o time merengue é patrocinado montadora Audi, que fornece veículos para todos os atletas e membros da comissão técnica. Os carros são considerados ‘oficiais’ pela equipe da capital espanhola e precisam ser utilizados em todos os eventos relacionados ao clube, inclusive treinamentos.

Real Madrid e Barcelona se enfrentam pela semifinal da Copa do Rei, no Santiago Bernabéu, na quarta-feira, às 17h (de Brasília). O jogo terá transmissão da ESPN Brasil e do WatchESPN.