<
>

Palmeiras segue longe de TV aberta e PPV no Brasileiro; veja quantos jogos podem ficar fora das telas

play
Jorge Nicola: Negociação entre Palmeiras e Globo emperra de vez (3:48)

Existem dois entraves que impedem a assinatura, o que pode tirar o clube da TV aberta e do pay-per-view durante a Série A (3:48)

Segundo apurou a ESPN nesta quarta-feira, as negociações entre Palmeiras e TV Globo para venda dos direitos de transmissão na TV aberta e no pay per view dos jogos do Campeonato Brasileiro seguem longe de um acordo.

Apesar do prazo estar chegando ao final para que esta questão seja resolvida, não houve qualquer nova conversa entre as partes. Permanecendo como estão as condições, não haverá aperto de mãos entre time e canal.

Como o Athletico Paranaense também não fechou com a emissora, e Bahia, Fortaleza, Internacional, Ceará e Santos estão acertados com a Turner para TV paga, isso quer dizer que 74 jogos do Brasileirão podem ficar sem transmissão, o que representa 19% dos 380 embates do torneio.

Vale lembrar que, segundo a Lei nº 9.615, de 24 de março de 1998 (conhecida como Lei Pelé), para que uma partida seja transmitida é necessário que exista acordo com os dois times envolvidos no jogo.

Sem o consentimento de uma das partes, o canal não pode exibir a partida, mesmo que tenha contrato com a outra agremiação.

A equipe do Palestra Itália, porém, segue irredutível em suas convicções: quer valores semelhantes aos de Corinthians e Flamengo, na casa de R$ 120 milhões de garantia mínima no PPV.

Nos bastidores do clube, há o interesse em fechar com a TV Globo, por conta do dinheiro e da visibilidade da televisão. No entanto, um acordo só sairá se for nos termos que o clube quer, e não que a emissora oferece atualmente.

A alta cúpula palestrina vê o clube equilibrado financeiramente, e sem qualquer desespero pela verba da TV. O orçamento de R$ 561 milhões feito pela diretoria para 2019, inclusive, sequer prevê dinheiro vindo das cotas pagas pela exibição dos jogos.

Ou seja: o Palmeiras, campeão de dois das últimas três edições do Brasileiro, se considera apto a passar o ano apenas com o dinheiro vindo da bilheteria, do sócio-torcedor Avanti, da venda de jogadores (meta de R$ 50 milhões) e de seu patrocínio master.

O Verdão, aliás, também conta com apoio da Crefisa na tomada de rumo nessa questão.

"Confio que o presidente (Maurício) Galiotte fará o que for melhor para o clube", disse recentemente a empresária Leila Pereira, dona da operadora de crédito que patrocina o clube.

JOGOS NO FACEBOOK E YOUTUBE

Como mostrou a ESPN na semana passada, o Palmeiras trata como muito palpável a possibilidade de ter apenas jogos exibidos na TV fechada, pelos canais TNT e Space, da Turner, com quem tem contrato.

Além disso, o clube estuda formas de exibir seus jogos no Facebook e na TV Palmeiras, canal da equipe no YouTube.

A saída daria ao Palmeiras alguma vantagem em relação às negociações já feitas, sem fazer com que a Globo tivesse de gastar mais pelo acordo com o clube e ainda ter um prejuízo menor no que diz respeito ao número de partidas que deixará de exibir nesta temporada.