<
>

Palmeiras topa vender jogadores, inclusive da base, para fechar contas; veja perfil de quem pode sair

play
Palmeiras: Vitão e Luan Cândido podem render R$ 84 milhões, diz Jorge Nicola (2:07)

O clube não tem uma, mas sim duas propostas do Barcelona (2:07)

O diretor de futebol do Palmeiras, Alexandre Mattos, está na Europa e pode negociar jogadores do clube nos próximos dias. O zagueiro Vitão, da base, por exemplo, está muito próximo do Barcelona, em uma negociação que pode incluir o lateral esquerdo Luan Cândido, também prata-da-casa.

Segundo apurou a ESPN, porém, ainda não há qualquer tipo de propostas oficiais por atletas alviverdes.

A negociação de jogadores, porém, é vista nos bastidores alviverdes como essencial para fechar as contas, principalmente depois dos altos investimentos feitos na janela de transferências (quase R$ 60 milhões foram gastos para trazer Matheus Fernandes, Arthur Cabral, Carlos Eduardo e Zé Rafael) e dos recursos usados para segurar o atacante Dudu e o volante Bruno Henrique após assédio da China, além do alto salário do meia-atacante Ricardo Goulart, que veio por empréstimo do Guanzhou Evergrande e da grana que será investida para segurar o zagueiro Gustavo Gómez, que está cedido pelo Milan até julho.

Por isso, há dois perfis de jogadores que podem ser negociados pela diretoria: destaques da categoria de base e também jogadores importantes do elenco principal, desde que não sejam considerados fundamentais pela comissão técnica - ou seja, tenham reposição à altura dentro do próprio plantel.

Negócios só serão fechados, porém, se os valores oferecidos agradarem Mattos e forem considerados satisfatórios pelo alto escalão palestrino.

Um pacote de 20 milhões de euros (R$ 84,14 milhões) por Luan Cândido e Vitão, por exemplo, seria visto com bons olhos, apesar do Palmeiras negar que qualquer tipo de proposta oficial tenha chegado às mãos da diretoria.

No momento, o tipo de transferência considerada mais atrativa é a de atletas da base, principalmente os que ainda não foram colocados para jogar no profissional.

Nos bastidores, há inclusive a percepção de que o atual momento do Palmeiras, que briga pelo título em todas as competições, mas convive também com forte pressão da torcida, não permite testes aos pratas-da-casa.

Luan Cândido, por exemplo, hoje teria que brigar por posição na lateral esquerda com Diogo Barbosa e Victor Luís, muito mais experientes, ou no meio/ataque com Dudu, principal destaque do elenco alviverde.

Por isso, a venda de jogadores, assim como o sócio-torcedor Avanti, o dinheiro da TV e o patrocínio da Crefisa, é considerada essencial para que o Palmeiras possa continuar a ter a saúde financeira em dia.

A reportagem também apurou que o dinheiro precisa entrar para que o Verdão consiga honrar dívidas deixadas pelas gestões passadas.

A que mais preocupa é a do volante Wesley, contratado pelo ex-presidente Arnaldo Tirone e atualmente sem clube após jogar em 2018 pelo América-MG, que passa dos R$ 40 milhões.

No momento, o clube do Palestra Itália vem convocando atletas que possuam dívidas ativas para tentar firmar acordos. Caso os credores não aceitem as condições, porém, as dívidas serão executadas, e o dinheiro em caixa viria em boa hora para evitar complicações jurídicas e financeiras.