<
>

Torcida xinga Leco e pede volta de Muricy durante queda do São Paulo

play
Arnaldo vê São Paulo 'jogando como bando' e enumera equívocos da diretoria: '3 meses de completo despreparo' (2:46)

Aguirre, que levou ao time à liderança do Brasileirão, foi demitido para a chegada de André Jardine (2:46)

Cansada de sofrer, a torcida do São Paulo demonstrou toda sua insatisfação durante a eliminação para o Talleres-ARG, na noite desta quarta-feira, no Morumbi, em duelo válido pela segunda fase preliminar da Copa Libertadores. O empate sem gols garantiu a classificação ao time argentino, que havia vencido o jogo de ida por 2 a 0.

Os primeiras sinais de impaciência surgiram logo no começo do segundo tempo, quando a torcida gritou os nomes de Muricy Ramalho e Telê Santana, técnicos multicampeões pelo clube. Pouco depois, em uníssono, os quase 45 mil são-paulinos xingaram o presidente do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Nos minutos finais do confronto, quando o 0 a 0 estava praticamente consumado, a torcida voltou a proferir palavras de ordem: “Não é mole, não. Eu to cansado de time amarelão” e “Muito respeito com a camisa tricolor, filho da…”. Ao término da partida, a torcida vaiou maciçamente a equipe, que pela primeira vez caiu na chamada Pré-libertadores.

A eliminação precoce, além de aumentar o histórico de vexames sofridos pelo clube nos últimos anos, aumenta a pressão sobre o técnico André Jardine a um patamar elevadíssimo. Afinal, a equipe acumula resultados negativos neste início de temporada e não apresenta sinais de evolução sob o comando do treinador de 39 anos, que pode ser demitido nas próximas horas.

Seja como for, o São Paulo tem pouco tempo para lamentar, já que tem um clássico pela frente. Neste domingo, às 19 horas (de Brasília), com ou sem Jardine, o Tricolor enfrenta o Corinthians pelo Campeonato Paulista, em Itaquera.