<
>

Petraglia dispara contra oferta de TV ao Athletico 20 vezes menor que as de Corinthians e Flamengo: 'A torcida terá de entender o sacrifício de ficar sem ver jogos'

play
Petraglia coloca Athletico Paranaense como líder do futebol brasileiro em estrutura: 'Somos o primeiro, longe' (0:53)

Presidente do Conselho Deliberativo do clube rubro-negro é o Bola da Vez desta semana (0:53)

Organizações Globo, Palmeiras e Athletico Paranaense ainda não se acertaram no que diz respeito às negociações dos direitos de exibição de seus jogos em TV aberta e pay-per-view (PPV) no Campeonato Brasileiro desta temporada.

A emissora carioca, controladora do Premiere e da TV Globo, negocia as duas frentes em conjunto.

No clube paranaense, Mario Celso Petraglia, presidente do conselho deliberativo do clube, já trata como muito possível a possibilidade de o Furacão ter apenas jogos exibidos na TV paga, nos canais da Turner (TNT e Space), com quem tem contrato, em 2019. Mais do que isso, o dirigente já manda recado à torcida:

"É complicado (ficar fora da TV aberta e PPV), mas o que faremos? Mais complicado é você vender os teus direitos a preços vis e, dentro da mesma competição, você ter outros clubes que faturam R$ 120 milhões por ano, enquanto a proposta para nós é de R$ 6 milhões", diz ele.

"Queremos que nossa torcida entenda e faça o sacrifício de nos ajudar e ficar sem ver os jogos", afirma. "É um sacrifício que estamos fazendo em prol de uma posição mais igualitária".

A diferença de 20 vezes no valor faz menção ao que a Globo ofereceu a Flamengo e Corinthians, as duas maiores torcidas do país. Tal montante é apenas a garantia mínima. O que significa que as agremiações ainda podem faturar mais.

"Buscamos um reconhecimento da Globo por aquilo que entendemos e a gente traz de valorização da competição e que o Athletico, por ser o oitavo do ranking nacional, e campeão da Copa Sul-Americana, representa", diz ele.

Para negociar com a emissora carioca, o clube contratou uma empresa de consultoria em comunicação e mídia. É com base em estudos dessa empresa que o clube está fazendo uma valoração técnica do que entende ser um valor justo por seus direitos de exibição.

"Estamos trabalhando nosso fluxo de caixa para já não contarmos com esses recursos", diz o dirigente paranaense, que afirma não haver desespero, por parte do clube, para fechar algum acordo.

Tal tranquilidade tem muito a ver com as cifras obtidas pelo clube junto à Turner. O Athletico já recebeu R$ 40 milhões em luvas e ainda receberá parte de um rateio, de acordo com o número de partidas exibidas e sua colocação no Brasileiro.

Além de Athletico e Palmeiras, têm contrato com a Turner Bahia, Fortaleza, Internacional, Ceará e Santos. Destes, apenas Palmeiras e Athletico não fecharam com a Globo.