<
>

Cruzeiro: veja como clube pretende pagar empréstimo de R$ 300 milhões

O Cruzeiro aprovou, nesta segunda-feira, plano para conseguir empréstimo de R$ 300 milhões com um fundo internacional. A ideia é quitar dívidas e passar a ter apenas um credor. O plano é que toda a quantia seja devolvida em até cinco anos, com a última parcela em 2023 no melhor dos cenários.

A direção celeste não detalhou o nome da instituição financeira, alegando haver uma cláusula de confidencialidade. O plano para o pagamento, porém, envolve parcelas semestrais, contando a partir de um ano e meio depois da assinatura do contrato. Os juros anuais serão de 9%.

Depois do aval do Conselho Deliberativo, o Cruzeiro agora trabalhará, de fato, para a obtenção do empréstimo, avançando em questões burocráticas, com documentações e garantias. Imaginando que o empréstimo fosse assinado já no próximo mês, seu pagamento se encerraria em 2023.

Significa dizer, portanto, que o parcelamento iria além do mandato do atual presidente Wagner Pires de Sá. Mesmo que seja reeleito em outubro de 2020, ele deixaria o cargo em 2022.

Caso o contrato do empréstimo seja assinado em março de 2019, depois do período de um ano e meio de carência, o Cruzeiro começaria a pagar os R$ 300 milhões em setembro de 2020.

A segunda parcela ficaria para março de 2021, e os dois meses seriam a base dos pagamentos ano a ano. O empréstimo seria quitado, nesse cenário, em setembro de 2023. Dependendo, contudo, de quando o contrato for, de fato, assinado, o pagamento pode se estender até mesmo a 2024.