<
>

Presidente do Cruzeiro celebra empréstimo de R$ 300 milhões: 'Apesar de ter Pires no nome, vou ver se tiro ele da mão'

O presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, comemorou a aprovação no Conselho Deliberativo do clube da proposta de um empréstimo de R$ 300 milhões com um fundo internacional – que não teve o nome revelado. A reunião foi o primeiro passo para a entrada do dinheiro nos cofres celestes.

Segundo o dirigente, que agora tentará viabilizar o empréstimo junto ao fundo, o Cruzeiro terá juros mais baixos para pagar a quantia em relação a suas atuas dívidas e prazo confortável para pagamento.

“A partir de agora, os conselheiros vão saber de tudo que estamos fazendo, o Cruzeiro está demonstrando ao próprio país e ao futebol brasileiro, que a gente tem condição de sair dessa dívida constante que passa o futebol, se continuarmos da maneira que está, teremos dois ou três times muito bem na fita e os demais pedindo, com o pires na mão”, disse.

“Apesar de eu ter nome Pires no nome, vou ver se tiro ele da mão, deixar só no sobrenome. O que nós fizemos foi exatamente isso. Estamos negociando com empréstimos, com financiamentos internacionais com taxas de juros baixíssimas, aproveitando o que eu chamo de ‘efeito Bolsonaro’, ou seja, o mundo está começando a olhar para o Brasil com outros olhos”, seguiu.

“Vamos trocar dívidas que termos internamente com taxas de juros internas altíssimas, que chega em uma média de quase 2% ao mês, por uma de 0.68%, então foi uma grande vitória e graças a Deus nós tivemos a aprovação unânime do conselho. Na verdade, teve um voto contra. Dois. É bom isso, porque toda unanimidade é burra”, encerrou. Dos 316 conselheiros que manifestaram sua opinião na segunda-feira, apenas dois foram contrários à operação. Alguns outros deixaram a reunião antes da votação.

Assim que o contrato de empréstimo for assinado, o Cruzeiro terá um ano e meio de carência para começar a pagar, em sete parcelas semestrais – com juros anuais de 9%.