<
>

Flamengo diz que fez manutenção nos alojamentos do CT, nega 'puxadinho' e fala em sucessão de eventos para catástrofe

play
CEO do Flamengo garante estar em contato com autoridades: 'Queremos que seja claramente definido o que aconteceu' (0:26)

Reinaldo Belotti concedeu pronunciamento neste sábado, um dia após a tragédia no CT do clube (0:26)

O CEO do Flamengo e chefe da comissão de gestão de crise do clube, Reinaldo Belotti, fez um pronunciamento de quase 20 minutos sobre o trágico acidente com um incêndio nos alojamentos dos garotos da base no Ninho do Urubu, em Vargem Grande. Foram dez mortos e três feridos internados no hospital.

"Todos os pré-requisitos foram atendidos. Esse módulo de alojamento é conhecido por todos. Aquilo não era um puxadinho. Era um alojamento adequado para o que se propunha e nos mostrávamos a todos com orgulho", disse Belotti em pronunciamento na sede do Flamengo, na Gávea, neste sábado.

O executivo afirmou que o local que pegou fogo havia passado por manutenção dois dias antes de os garotos chegaram para se alojar. E descartou qualquer falha.

"Uma hipótese é que o problema começou no ar condicionado. Esses aparelhos tinham sido vistos dois dias antes. Estavam em perfeita ordem", disse.

"A suposição de que picos de energia tenham influenciado no funcionamento regular do ar condicionado existe. Aí quando iniciou a fumaça tóxica, as pessoa começaram a desfalecer em decorrência dela. Foi trágico. O acidente não foi por falta de investimento. Aquela turma é nosso maior ativo. Nosso futuro. Tivemos todo cuidado. Não poupamos esforço. Foi uma sucessão de eventos após um dia catastrófico pra o Rio, com vendavais, que nos trouxe essa catástrofe maior", disse.

Belotti afirmou que o Flamengo usa os módulos habitacionais desde 2011 e que jamais teve problemas. Também disse que o clube tem certificados do conselho mundial da criança, da FERJ e da CBF, tendo recebido o título de "Clube formador".

No entanto, não desmentiu a prefeitura do Rio de Janeiro, que apontou falta de alvarás, multou o clube e informou que o local onde estavam os alojamentos tinha sido liberado para construção de um estacionamento.

"Esse episódio está trazendo confusão. O CT, seus alvarás e suas multas. Isso não tem a ver com o acidente. Estamos trabalhando para ter todos os certificados. Temos oito e precisamos de nove", concluiu.