<
>

Palmeiras: Goulart se coloca como um dos principais reforços do Brasil e já imagina retorno à seleção

O meia-atacante Ricardo Goulart foi apresentado nesta quarta-feira pelo Palmeiras, na sede da FAM (Faculdade das Américas), uma das patrocinadoras do clube.

O atleta recebeu a camisa 11 das mãos do presidente Maurício Galiotte, do diretor de futebol Alexandre Mattos e da empresária e conselheira Leila Pereira, dona da Crefisa e da FAM.

Questionado se ele se considerava o principal reforço da atual janela de transferências, o atleta foi modesto, mas destacou os bons números que obteve no Cruzeiro e depois futebol chinês, pelo Guangzhou Evergrande: foram 104 gols em 154 partidas pela equipe asiática

"Não me coloco como grande reforço do futebol brasileiro, pois tenho que respeitar os outros profissionais. O Hernanes tem uma carreira brilhante, o Gabigol também. Mas me coloco num patamar muito importante no futebol", afirmou.

"De 2013 a 2018, meus números sempre foram altos. Quero agradecer às pessoas que estiveram ao meu redor, pois ficar quatro anos na China após disputar dois Brasileiros em alto nível foi uma dificuldade imensa, mas consegui me manter lá em cima. Por onde passei, meus números foram ótimos. Espero que nesta temporada eu consiga mantê-los", completou.

Goulart também disse que já imagina um retorno à seleção brasileira. Ele foi convocado em 2014 pelo técnico Dunga, mas depois que foi para o Guanzhou nunca mais foi chamado.

Agora, no Verdão, ele se vê mais próximo de um chamado.

"Com certeza. Me coloco numa posição considerável (de ser convocado) pelos meus números. Não vou falar para você que meus números são péssimos (risos). A seleção agora está mais próxima. Estou vestindo uma camisa vitoriosa, e vou fazer de tudo para que possa retomar meu futebol em alto nível", salientou.

"Parei (de jogar) em outubro, faz uns quatro meses. Então, tenho agora que me readaptar ao futebol brasileiro novamente e fazer meu melhor. Se tiver a oportunidade de vestir a camisa da seleção, vou ficar muito feliz", acrescentou.

VEJA OUTRAS RESPOSTAS DE GOULART

"Sou meia-atacante. Joguei dois anos e meio com o Felipão na China e consegui manter o nível que eu estava tendo no Cruzeiro. Já joguei pela ponta, pelo meio, de centroavante... Onde o Felipão escolher ou preferir que eu jogue, posso garantir para ele que farei meu melhor"

"Se precisasse jogar ontem, eu já jogava. Mas tem que respeitar o processo de tratamento. Eu brinco com o pessoal do departamento médico e peço: 'Me libera, me libera', e eles falam: 'Calma' (risos). Tem que pensar num todo, não só em mim. Ninguém quer me prejudicar, eles querem me deixar 110% na mão do Felipão. E para jogar nesse grupo qualificado, eu tenho que estar 110%, 120%. Vamos com calma, tem essa semana aberta ainda. Durante a semana vamos conversar com a comissão técnica, com o DM, e vamos passo a passo"

"O Palmeiras hoje está disputando quatro competições, e todas são importantes. A gente sabe que a Libertadores, pelo tamanho, pela cobrança dos torcedores, é algo que todos os atletas querem conquistar. Mas vou falar pelo grupo, porque todos estão envolvidos e sabem da responsabilidade. Felipão tem falado nisso: temos Paulista, Brasileiro, Libertadores, e vamos fazer de tudo para que a gente possa andar no mesmo trilho. No ano passado, o Palmeiras foi muito bem (na Libertadores), não conseguia chegar onde queria, mas deu seu melhor, o torcedor ficou orgulhoso. Se Deus quiser, esse ano será ainda mais vitorioso"