<
>

Neymar provoca com dribles? Pesquisa diz que sim, e PSG detona: 'Pelé, Ronaldo e Zidane exageravam?'

play
'Erro do Neymar foi ficar de pé?' Rafa Oliveira questiona e alerta para que 'vítima' não seja transformada em 'culpado' (1:19)

Comentarista falou sobre lance em que brasileiro voltou a se lesionar em jogo do PSG (1:19)

Neymar se lesionou pela segunda vez na Ligue 1 em menos de um ano, levantando a dúvida: seu jogo de dribles é perigoso para si mesmo? A questão virou uma polêmica pesquisa na França, publicada no último sábado. E o PSG não gostou nada dos resultados.

A rede de televisão RTL, de Luxemburgo, encomendou tal estudo para a Odoxa, instituição de pesquisa francesa, que perguntou a fãs de futebol e pessoas em geral sobre o comportamento do brasileiro em campo.

“Nós não protegemos nossos artistas o suficiente na França ou o brasileiro pratica um jogo perigoso para si mesmo, baseado no drible e provocação?”, indagaram os pesquisadores. E para 84% dos franceses, a resposta foi a segunda.

Entre os fãs de futebol, o percentual caiu um pouco, mas ainda foi impactante: 78% pensam que o estilo de dribles de Neymar é perigoso para si mesmo.

PSG detona

Em nota oficial, o Paris Saint-Germain detonou a pesquisa, desconfiando de sua confiabilidade e dando risada das conclusões.

“Aparentemente, 99% dos franceses – se nós adicionarmos os 15% que pensam que não protegemos nossos artistas o suficiente na França – conseguiram dar uma opinião sobre o jogo praticado por Neymar Jr. Não temos certeza nem se no Brasil essa porcentagem de pessoas esclarecidas sobre assuntos do futebol chegaria a tais números”, questionou o clube.

Na pesquisa da Odoxa, apenas 1% dos franceses não soube opinar na pergunta sobre o estilo de Neymar.

“Em todo o mundo, com quem as crianças e amantes desse jogo sonham mais? Neymar Jr ou qualquer um de seus oponentes? Indo até o fim dessa lógica engraçada, alguém diria que Pelé, George Best, Johan Cruyff, Diego Maradona, Ronaldo “Fenômeno” ou Zinedine Zidane “faziam demais” no campo? Alguém ousaria dizer que, no seu tempo, que Mustapha Dahleb, Safet Susic, Raí, Jay-Jay Okocha e Ronaldinho Gaúcho “faziam demais’ com a camisa do Paris Saint-Germain?”, criticou o PSG.