<
>

Brasil e Colômbia voltam a empatar sem gols pelo Sul-Americano sub-20

Marquinhos Cipriano (à esq.) protege a bola diante de Carlos Cuesta Getty Images

O Brasil segue sem engrenar no Sul-Americano sub-20. Nesta terça-feira, pelo jogo de abertura do hexagonal final da competição, a equipe enfrentou a Colômbia e, apesar de ter mais pose de bola e mais finalizações, não conseguiu sair do empate com 0 a 0.

Esse foi o segundo empate da seleção na competição, o segundo com a Colômbia. Na primeira fase, os times se encontraram pela segunda rodada da primeira fase e também terminaram sem gols. Depois disso, o Brasil venceu Venezuela e Bolívia e perdeu para o Chile.

Com o resultado, Brasil e Colômbia chegam a um ponto no hexagonal final, também disputado por Argentina, Equador, Uruguai e Venezuela. Ainda nesta terça-feira, o Equador enfrenta a Argentina e a Venezuela encara o Uruguai.

Agora, os comandados de Carlos Amadeu voltarão a campo na sexta-feira, quando duelarão com a Venezuela, às 23h10 (de Brasília). No mesmo dia, a Colômbia jogará com a Argentina, às 18h30.

Brasil domina primeiro tempo mas ataque não faz sua parte

Ao contrário do que se viu nos últimos jogos, a Seleção dominou as ações no primeiro tempo. O Brasil teve mais posse de bola e finalizou mais do que a Colômbia, mas continuou demonstrando ineficiência e falta de criatividade no ataque.

A primeira boa chance da Seleção veio aos nove minutos, quando Emerson recebeu lançamento na área, mas perdeu o ângulo e finalizou fraco para defesa fácil de Mier. Já aos 23, após tentativa no jogo aéreo, a bola sobrou para Marcos Antonio, que chutou forte da entrada da área, mas mandou a bola muito por cima do gol.

No último lance do primeiro tempo, a Colômbia assustou a Seleção Brasileira e quase fez valer a frase “quem não faz, toma”. Aos 48 minutos, após cruzamento pela ponta esquerda, Tolosa se antecipou à zaga brasileira e finalizou rente à trave de Phelipe.

Colômbia melhora no segundo tempo; jogo acaba sem gols

Tentando melhorar o desempenho no ataque, Carlos Amadeu promoveu a primeira substituição na equipe ainda no intervalo. O treinador sacou o atacante Marcos Cipriano e colocou em campo o também atacante Toró, do São Paulo.

Por outro lado, mesmo sem substituições, a Colômbia voltou do intervalo jogando um futebol bem diferente do que mostrou na primeira etapa. A seleção colombiana atacou com mais intensidade e teve boa chance logo aos quatro minutos, quando Angulo invadiu a área, finalizou e exigiu boa defesa do goleiro Phelipe.

O Brasil teve sua primeira boa chance da etapa final aos 17 minutos, quando Rodrygo cobrou falta rente ao travessão de Mier. A falta foi sofrida por Igor, que entrou no lugar de Lincoln aos 11 minutos e melhorou o ataque brasileiro.

Aos 44 minutos, o Brasil teve sua grande chance para sair de campo com a vitória. Após cruzamento de Emerson pela ponta direita, os atacantes da Seleção acabaram se atrapalhando na grande área. Ao final da jogada, Toró finalizou com desvio na zaga e não conseguiu desempatar o confronto.