<
>

Flamengo: Bruno Henrique foi descoberto na várzea e brilhou contra o Real Madrid na Champions League

play
Celso Unzelte: 'O desafio do Santos é maior por causa das pretensões do técnico' (2:00)

Comentarista analisou qual equipe de São Paulo terá a missão mais árdua no Estadual (2:00)

Contratado pelo Flamengo por R$ 23 milhões nesta semana, Bruno Henrique demorou para emplacar no futebol.

Vindo de uma família humilde de Belo Horizonte, o atacante tentou fazer testes no Valério Doce-MG, mas não deu certo. Sem ter passado por categorias de base de clubes, ele conciliava a carreira no futebol amador com outros trabalhos.

Ele conseguiu se destacar nos gramados ao ser campeão da tradicional Copa Itatiaia de 2012 com o Inconfidência, do Bairro Concórdia. Ele foi o craque da competição e atuou ao lado de Juninho, seu irmão um ano mais velho, que ficou com o prêmio de revelação.

"Na adolescência eu trabalhava como monitor de uma escola de informática e meu irmão era recepcionista de um escritório na cidade. Eu ensinava garotos de seis a nove anos a mexer em computador. Sempre sonhávamos desde meninos sermos jogadores, mas não esperávamos ter oportunidade jogando em futebol amador", contou Juninho, em 2016, ao ESPN.com.br.

Os dois atacantes foram contratados pelo Cruzeiro por dois anos e repassados ao Araxá-MG e Guarani de Divinópolis-MG. Após o final desse período de empréstimos, os vínculos não foram renovados com o time da capital.

Os empresários Dênis Ricardo e Wellington Paulo levaram Bruno para o Uberlândia-MG. Depois disso, ele foi ao Itumbiara-GO e se destacou na segunda divisão goiana com nove gols, foi vice-artilheiro e conseguiu o acesso para a elite. Por meio do ex-gerente de futebol Harlei, que conversou com seus representantes, Bruno foi para o Goiás em 2015.

O jogador venceu o Campeonato Goiano, fez 57 jogos e marcou 12 gols, sendo sete deles na Série A do Brasileiro. Mesmo com o time rebaixado, ele chamou atenção de diversos clubes e foi vendido no final daquele ano ao Wolfsburg, da Alemanha.

Em seu sexto jogo pelo time da Volkswagen, ele foi a grande surpresa do técnico Dieter Hecking na vitória por 2 a 0 diante do Real Madrid pela primeira partida das quartas de final da Uefa Champions League, na Alemanha.

"Fiquei sabendo que iria jogar depois do almoço quando o treinador me chamou para conversa e disse que eu ia estrear como titular. Foi um jogão, quem viu pode ver que as duas equipes fizeram um duelo de Champions League mesmo", disse Bruno à época, para a ESPN.

"Nunca imaginei que meu primeiro jogo seria assim. Acreditei só na hora em que o juiz terminou (risos). Não estávamos jogando com qualquer equipe, estávamos diante do Real Madrid e, enquanto o juiz não desse o apito final, tudo poderia acontecer", relatou o jogador, um dos destaques da partida.

No duelo da volta, porém, o time espanhol eliminou a equipe alemã com uma atuação de gala de Cristiano Ronaldo.

Após perder espaço no Wolfsburg, Bruno foi vendido ao Santos por quatro milhões de euros no começo de 2017. Na Vila Belmiro, ele rapidamente virou destaque da equipe na temporada, ao disputar 53 jogos, marcar 18 gols e dar 13 assistências.

No ano passado porém, ele viveu altos e baixos após ter uma lesão no olho. Seus números também tiveram uma queda: 33 jogos, dois gols e três assistências. No Flamengo, ele espera retomar os melhores momentos da carreira.