<
>

UFC: Jon Jones passa por todos os exames antidoping após vitória sobre Gutafsson

play
Após UFC 232, Jon Jones revela admiração por torcida brasileira, projeta luta no país e canta: 'Uh, vai morrer' (0:12)

Atleta disse que adoraria lutar no Brasil, mas não contra um brasileiro (0:12)

O lutador de MMA e campeão da categoria peso meio-pesado, Jon Jones, passou em todos os testes de antidoping após vencer Alexander Gustafsson no UFC 232.

Duelo que foi realizado na cidade de Inglewood, nos Estados Unidos, após a Comissão Atlética de Nevada negar ao atleta a licença para lutar em Las Vegas, que seria o local original do evento.

O diretor da comissão atletica do estado da Califórnia, Andy Foster, contou para a ESPN americana que o lutador foi ‘testado’ por duas agências de antidoping, são elas: USADA (Agência de Antidoping Americana) e CSAC (Comissão Atlética do estado da Califórnia).

Os dois resultados deram negativo para metabolito M3 (turinabol), substância proibida pela entidade e que gerou grande especulação antes da luta por um possível uso do atleta. Sobre isso, Foster se posicionou.

"Só posso contar o que me disseram. Isto é, na noite da luta, e após o duelo, Jon Jones não estava no doping”.

Além de realocar o posto do evento, a entidade também precisou alterar a data. Antes, o UFC 232 estava marcado para o dia nove de dezembro do ano passado, porém, foi realizado apenas no dia 30 do mesmo mês.

Mesmo com o 'sucesso' nos testes, ainda há um que Jones precisa passar. Este, realizado pela VADA (Associação Voluntária de Antidoping) durante o evento, ainda não teve o resultado divulgado.

Em 2015, O primeiro 'episódio' de Jones no antidoping veio à tona. Após vencer Cormier, no UFC 182, foi revelado um exame que apontava uso de cocaína pelo atleta em dezembro de 2014.

Um novo caso aconteceu no ano seguinte, pouco depois de voltar para a luta profissional. Antes de enfrentar mais uma vez Cormier, no UFC 200, Jones foi 'flagrado' no doping.