<
>

Libertadores dobra prêmio de novo, mas ainda paga menos que a Copa do Brasil

play
Conmebol aprova aumento de premiação e cotas de TV para brasileiros na Libertadores (1:20)

Zé Renato Ambrosio traz as principais novidades nas mudanças do torneio (1:20)

A Conmebol ajustou mais uma vez a premiação da Copa Libertadores e dobrou o prêmio novamente. Ainda assim, não conseguiu se equiparar ao que a CBF decidiu pagar ao campeão da Copa do Brasil.

A entidade sul-americana confirmou os novos valores pagos na Libertadores nesta segunda-feira, momentos antes do sorteio da fase de grupos. Agora, o campeão de 2019 embolsará US$ 12 milhões (aproximadamente R$ 47 milhões). O valor é exatamente o dobro pago ao River, campeão de 2018.

O ajuste deixa o valor bem mais próximo ao pago pela Copa do Brasil, mas ainda menor. No torneio nacional, o campeão leva R$ 50 milhões.

O tema é gerou bastante discussão nesse ano, com um torneio teoricamente mais importante com um prêmio bem defasado em relação ao outro.

O aumento na premiação está diretamente ligado ao novo contrato de transmissão firmado para a Libertadores.

Em 2019, o Brasil será representado por oito equipes: Athletico Paranaense, Cruzeiro, Flamengo, Grêmio, Internacional e Palmeiras entram direto na fase de grupos, enquanto Atlético-MG e São Paulo disputam a fase prévia.

Já a Copa Sul-Americana também aumenta o seu prêmio e pagará US$ 4 milhões (R$ 15,6 milhões). O Brasil será representado por Bahia, Botafogo, Chapecoense, Corinthians, Fluminense e Santos no torneio.

O Athletico Paranaense, atual campeão da Sul-Americana, ainda pode embolsar mais US$ 1,250 milhões (R$ 4,9 milhões) se vencer o River Plate na final da Recopa. Se perder, fica com US$ 750 mil (R$ 2,9 milhões).