<
>

'Ignorado' pelo Santos, técnico argentino viu 12 jogos, conhecia 'carências' e topou reduzir salário

O Santos tinha tudo encaminhado com Ariel Holan, do Independiente-ARG, até a manhã da última quarta-feira, quando passou a ignorá-lo e focou em Jorge Sampaoli, outro argentino e anunciado como novo técnico nesta quinta.

O cenário é semelhante à negociação com Zé Ricardo antes da definição por Cuca, em julho. O atual treinador do Botafogo conversou sobre detalhes contratuais e esperou pelo convite para a assinatura – que nunca ocorreu.

Holan aguardava ansioso pelo fim das tratativas com o time brasileiro e, inclusive, assistiu aos últimos 12 jogos do time no Campeonato Brasileiro e sabia de duas carências: um “meia cerebral” e um “atacante puxador de contra-ataque”.

O técnico foi procurado por clubes dos Estados Unidos e Emirados Árabes, além de ter recebido uma sondagem da seleção colombiana, mas priorizou o Alvinegro e aceitou reduzir em 20% seu salário na Argentina. A diferença entre o oferecido e o pedido era de menos de R$ 100 mil.

Como não há multa rescisória no seu acordo com o Independiente, Ariel Holan aguardava pelo Santos para comunicar a diretoria e explicar sobre a oportunidade no Brasil, vista por ele como um salto na carreira e um desafio tentador. Ele soube da opção por Sampaoli pela imprensa.