<
>

Palmeiras envia questionário com 19 perguntas para a Blackstar responder até sexta-feira e irrita representante da empresa

play
Conheça a empresa que quer ser a nova parceira do Palmeiras (5:25)

Rubnei Quicoli, representante da Blackstar, falou sobre a companhia e a ideia do projeto (5:25)

Palmeiras e Blackstar seguem em negociação. Após uma reunião na terça-feira, dia 11, o clube encaminhou à holding uma lista com 19 perguntas, a fim de esclarecer alguns pontos do patrocínio.

O questionário, ao qual o ESPN.com.br teve acesso, chegou à empresa na manhã desta quinta-feira, dia 13. E a Blackstar tem pouco mais de 24 horas, até as 19h de sexta-feira, 14, impreterivelmente, para respondê-lo.

As dúvidas vão do organograma da companhia e de sua estrutura societária a detalhes sobre intenção de patrocinar outros clubes brasileiros. O clube pede também detalhamento sobre brand equity, ou seja, explicação sobre quais os atributos da marca Palmeiras que atraíram a atenção da empresa, e como eles dialogam com as marcas componentes da holding.

Muitas das perguntas também são redundantes com relação à proposta já enviada ao clube. Questionamentos como duração do contrato e forma de pagamento, que já são inclusive de domínio público, conforme reportagem publicada pela ESPN, aparecem listados.

A reiteração de questionamentos, bem como o prazo exíguo para respostas, irritaram Rubnei Quícoli, representante da empresa na negociação com o Palmeiras. Em virtude do envio das perguntas nestes termos, Quícoli, inclusive, diz não acreditar que possa fechar um acordo com o clube.

"Acho estranho pedir um relatório com prazo de 24 horas. Isso me cheira a menosprezo, como se estivessem apenas querendo informar aos torcedores que estão se dedicando", diz Rubnei Quícoli. "Também acho estranha a atitude e o pouco avanço, até porque essa me parece ser mais uma posição de desconfiança do que de interesse", diz.

"Sendo assim, em janeiro oficializo a proposta com um contracheque e caberá à Crefisa cobrir ou ao clube escolher. O Palmeiras jamais será um balcão para leilão", afirma.

Quícoli também demonstrou descontentamento com a postura de Leila Pereira, presidente da Crefisa, que, segundo ele, ironizou a oferta de patrocínio da Blackstar em programas de TV, a chamado de "duvidosa".

"Em alguns comentários, ela (Leila Pereira) ironiza outro pretendente (Blackstar). Não fiz menções antes para não criar problemas, pois nosso propósito é fortalecer o Palmeiras. Mas exijo respeito com minha pessoa e as empresas. Pergunto: este tratamento foi dado de igual, por parte da Crefisa?", indaga.

"Parece que há interesse de pessoas em me difamar, e difamar a Blackstar. Houve injúria, desqualificação. Levantaram até problemas pessoais meus, para tentar desqualificar, colocando minha vida em risco, mexendo com questões superadas. Querendo me desmoralizar", afirma, demonstrando grande irritação.

"Na hora certa, essas pessoas que me difamaram vão ter de responder pelo que estão falando. Estamos juntando tudo", afirmou.

Veja abaixo os questionamentos e solicitações de informações enviados por Alexandre Zanotta, diretor jurídico do Palmeiras, à Blackstar.

"(i) Favor enviar organograma societário do grupo econômico do qual a Blackstar faz parte, identificando todas as empresas e seus respectivos acionistas/sócios até o beneficiário final.

(ii) Favor identificar quais empresas terão operação no Brasil, e quais delas terão relacionamento com o Palmeiras.

(iii) Qual a sua função e posição no organograma do grupo de empresas?

(iv) Quais condições contratuais serão exigidas pela Blackstar para a assinatura do contrato e a liberação do valor do patrocínio?

(v) Favor enviar o último relatório anual divulgado para o mercado com os resultados das empresas do grupo.

(vi) A Blackstar apresentará alguma garantia bancária enquanto estamos evoluindo nas tratativas? Em caso positivo, qual tipo de garantia?

(vii) Quais outras referências bancárias podem ser fornecidas pela Blackstar?

(viii) Qual o plano de investimento da Blackstar no Brasil para os próximos 10 anos? Favor detalhar áreas de atuação e valores de investimento previstos.

(ix) Como a Blackstar pretende associar a sua marca ao Palmeiras? Quais as ações de marketing deverão ser viabilizadas pelo Palmeiras?

(x) A manutenção do patrocínio e/ou dos valores estará condicionada a algum fator ou variável como, por exemplo, performance esportiva?

(xi) Quais são os atributos (brand equity) identificados na marca do Palmeiras que podem fortalecer a imagem da Blackstar ou das empresas do grupo?

(xii) Outros clubes/times do Brasil poderão ser patrocinados durante o período do contrato com o Palmeiras ou haverá exclusividade?

(xiii) Qual seria o período do contrato? A Blackstar consideraria um período menor ou maior? Qual o prazo mínimo e o máximo?

(xiv) Como seriam feitos os pagamentos das verbas de patrocínio (valores, datas, condições etc.)?

(xv) Como a Blackstar pode contribuir para o fortalecimento da marca do Palmeiras (além dos aspectos financeiros)?

(xvi) A Blackstar possui contratos de patrocínio em outros países? Quem são os patrocinados?

(xvii) A intenção da Blackstar é explorar um número específico de marcas durante o período de contrato ou não há limite?

(xviii) Quais os parâmetros considerados para a escolha do Palmeiras? Quem tomou a decisão?

(xix) O interesse da Blackstar é exclusivo e específico no futebol ou considera outras possibilidades no caso do Palmeiras? Quais?"