<
>

Palmeiras: veja como será o primeiro patrocínio na camisa se o clube fechar com a Blackstar

play
Representante da Blackstar revela valor de proposta ao Palmeiras (3:06)

Empresa tem o interesse de ser parceira do clube alviverde (3:06)

O Palmeiras recebeu uma proposta e pode ter a Blackstar como sua nova patrocinadora. Mas como ficaria a camisa do clube?

Rubnei Quícoli, representante da companhia que tenta acertar o patrocínio, diz que ainda não pode revelar quais marcas vão aparecer no uniforme do Palmeiras ao longo dos dez anos da pretendida parceria em caso de acordo.

"São várias empresas. Há companhias do setor de agronegócio, fabricantes de avião e turbinas de pequeno porte, além de empresas do ramo de energia e bioenergia", diz ele.

Mas o executivo revelou, com exclusividade, ao ESPN.com.br, qual será a primeira marca que pode ser estampada na camisa alviverde, em caso de acordo.

"Esse logo é o que vamos colocar na primeira camisa que patrocinarmos no Brasil, qualquer que seja o clube", afirma.

"O nome da empresa, eu ainda não posso dizer, para que ninguém procure no Google e comece a telefonar", afirma. "Depois vocês (jornalistas) vão todos ficar ligando lá", disse, entre risos.

Conheça a empresa que quer ser a nova parceira do Palmeiras

A precaução não é em vão. Enquanto procurava por detalhes, a ESPN, por exemplo, fez contato com uma "Blackstar International Holdings LTD", com sede na Escócia, acreditando poder se tratar da empresa que tenta acordo com o Palmeiras.

Chamado, o telefone de contato constante no site foi atendido rapidamente. Mas a resposta não foi nada animadora, no sentido de esclarecimento quanto à proposta da companhia.

Sem identificar seu nome, por medo, segundo ele, dos "diversos esquemas escusos do futebol brasileiro" o homem que atende o telefone diz não aguentar mais falar com jornalistas brasileiros e que não tem nada a ver com futebol.

Há um email de contato junto ao telefone de contato da empresa: "mr.williams.2017@outlook.com". O que leva a presumir que o nome do interlocutor, que fala com um sotaque britânico, seja o Sr. Williams.

Por que o Palmeiras? Representante da Blackstar explica o motivo do interesse em parceria

"Nada! Não tem nada! Tenho um advogado no Brasil, mas não tenho nenhuma proposta de futebol e nenhum interesse no assunto", afirma. Indagado se a história seria, então, irreal, o "talvez" Sr. Williams é categórico: "Eu sou real, minha empresa é real, mas essa proposta que vocês mencionam não é", diz.

A Blackstar escocesa trabalha no setor de mineração de diamante, ouro e outras pedras e metais preciosos.

Corinthians? Flamengo? Empresa que busca parceria com Palmeiras não descarta rivais

Rubnei Quícoli, coincidentemente, conhece a homônima britânica da holding que ele representa.

"Eles são bem grandes, também, mas não têm nada a ver conosco", diz.

Representante de empresa que quer parceria com Palmeiras: 'Não estamos concorrendo com a Crefisa'