<
>

Denílson conta como quase foi parar no Barcelona a pedido de Louis van Gaal

play
Jardine faz planejamento para 2019 no São Paulo e diz: 'Vai ficar todo mundo' (1:37)

Treinador da equipe falou com exclusividade com Cícero Mello (1:37)

Em 1998, Denílson saiu do São Paulo e chegou ao Real Betis como o jogador mais caro da história, quebrando o recorde da transferência de Ronaldo Fenômeno para a Inter de Milão. O destino do pentacampeão mundial com a seleção brasileira, porém, poderia ter sido o Barcelona.

A mudança para o Camp Nou no ano seguinte foi barrada por Manuel Ruiz de Lopera, então presidente do clube da cidade de Sevilha.

"O Betis não me liberou. Coisas normais de contratações, valores, essas paradas todas. Eu tinha recém chegado ao Real Betis, como a transação mais cara do mundo. O presidente até falou não ia abrir mão nunca. Terminou a minha primeira temporada, o Barcelona, assim como outros clubes, veio atrás", disse à ESPN.

"O presidente tinha dado uma declaração naquela época que para me tirar o time teria que fechar um banco (risos). Isso repercutiu demais naquela época. Mas foi por isso. Foram coisas de valores e o presidente não quis", explicou.

Antes mesmo da chegada ao Betis, o Barcelona já havia tentado levar Denílson a pedido do treinador holandês Louis Van Gaal, em 1997.

"Eu estava pré-temporada na Alemanha e ele queria um ponta esquerda que jogasse aberto. Ele queria o Denílson, que estava no São Paulo. E ele me chamou no quarto e disse: 'A gente está vendo se negocia você com o São Paulo porque eu quero o Denílson. Você topa?' Eu respondi: 'Topo, já que você não conta comigo eu vou voltar'", disse Giovanni, no Bola da Vez.

"O Van Gaal disse: 'Arruma tuas coisas que amanhã você vai embora'. Amanheceu, não deu certo o negócio. Não sei qual a razão. Ele me disse que não deu certo, mas que mesmo assim não contava comigo", relatou Giovanni.

Denilson esteve praticamente acertado com o Barcelona, mas o Betis cobriu a oferta e arrematou o brasileiro por 32 milhões de dólares. Na Espanha, o brasileiro jogou até 2006 e faturou a Copa do Rei.

Depois, ele jogou por Bordeaux, Al Narr (Arábia Saudita), FC Dallas, Palmeiras, Itumbiara e passou por Vietnã e Grécia. Em 2010, aos 32 anos, resolveu se aposentar dos gramados.