<
>

Tevez relata "tristeza" por Libertadores fora da Argentina e critica Conmebol

play
Libertadores: argentinos reagem ao fiasco de River Plate x Boca Juniors com indignação e vergonha (3:50)

André Donke, repórter do ESPN.com.br, conversou com a população e ouviu que 'sociedade não tem solução' (3:50)

O atacante Carlos Tevez, que nesta quinta-feira participou do primeiro treino do Boca Juniors no estádio Santiago Bernabéu, onde no domingo será disputada a partida de volta da Copa Libertadores, não escondeu a tristeza pelo fato da partida ser disputada fora da Argentina e criticou a Conmebol pela decisão de mudar o local da decisão para outro país.

"A verdade é que somos agradecidos à Espanha por sempre nos receber muito bem. É um pouco lamentável, um pouco triste não estarmos jogando esta final no nosso país. Ninguém discorda que os jogadores ganharam o direito de jogar a final na Argentina, e nos tiraram de lá", disparou.

A transferência da partida para a Espanha ocorreu após dias de reuniões e diversos adiamentos. Tudo começou quando o ônibus do Boca foi apedrejado por torcedores do River Plate no meio do trajeto para o estádio Monumental de Núñez, onde seria disputada a segunda partida da final.

"Pensei que a pessoa mais burra da história fosse eu, mas esses caras me superaram", expressou o atacante sobre a decisão da Conmebol de levar a partida para fora da Argentina. Perguntado sobre a chegada de barras bravas a Madri, Tevez lembrou que a polícia espanhola deportou um dos líderes de torcida organizada do clube, Maxi Mazzaro.

"Já me disseram que pegaram alguns barras bravas. É importante o exemplo que a Espanha dá para estas coisas, linha dura. Acho que nós também necessitamos um pouco, é importante que eles deem o exemplo e nós o sigamos", comentou.

Outro que expressou insatisfação em relação à mudança de local da partida foi o volante Fernando Gago, do Boca Juniors, que conhece bem o novo palco da partida, já que defendeu o Real Madrid entre 2007 e 2012.

"Para ser sincero, acho que o ideal era jogar na América do Sul, no campo do River Plate. Acho que seria bom para o futebol argentino, para o futebol sul-americano. Infelizmente, ocorreu esta situação. O Santiago Bernabéu é um estádio que conheço, vivi muitos momentos importantes da minha vida futebolística aqui, então estou contente", afirmou Gago após o treino.

Quanto à situação vivida após os distúrbios do dia 25 de novembro, Gago explicou que os jogadores sentiram uma grande incerteza sobre o que aconteceria com a partida.

"Foi tudo muito estranho, ninguém estava acostumado a viver o que aconteceu, não sabíamos até o dia da partida se jogaríamos ou não. Infelizmente, foi assim. Agora, restam três dias e temos que nos preparar da melhor forma", disse. Questionado sobre os torcedores do Boca que não poderão ir a Madri, Gago disse que eles "estarão presentes mesmo que não tenham viajado" e agradeceu pelo apoiado.

"O sentimento do torcedor do Boca não se compara com nada no mundo. Como ele vive, como ele curte, as demonstrações de carinho que tivemos em cada situação, é preciso parabenizá-lo. Temos que fazer uma boa partida para ganhar por nós e pela torcida", acrescentou.