<
>

ESPN FC 100: Quem é o melhor técnico de 2018?

O futebol pode parecer muitas vezes um caos, mas os principais técnicos têm a habilidade de ver um plano maior e, entre todos, não entram em pânico quando o plano A não dá certo. Eles têm planos B, C e D prontos. Os melhores conseguem controlar egos, talentos renomados e altos e baixos emocionais enquanto deixam todo mundo feliz, com harmonia no grupo e totalmente focados na mesma causa.


Tuchel tem um trabalho impossível: se ele não conseguir vencer a Ligue 1 de lavada com Neymar e Mbappé, ele falhou. Portanto, a Europa é a fronteira que ele deve conquistar. Tuchel, que passou um ano longe dos gramados depois de duas temporadas no Dortmund, será julgado pela maneira como o PSG vai se classificar na Champions League e sua marca de futebol elegante e voltada para o ataque deve fazê-los chegarem lá este ano.


O esperto Tite transformou o Brasil em um time do qual seu país pode se orgulhar novamente, embora haja um pouco de pesar por ele não ter conseguido levá-lo adiante na Rússia, onde perdeu para a Bélgica nas quartas de final. Agora, Tite enfrenta uma nova pressão para ter sucesso em casa na Copa América do ano que vem, um desafio que não incomodará esse mestre estrategista.


Ancelotti é um mestre em chegar em novos ambientes, adaptar-se rapidamente e criar uma equipe de sucesso. Ele está fazendo de novo com o Napoli, o vice-campeão da última temporada da Serie A, mesmo que a abordagem audaciosa de seu antecessor, Sarri, não seja bem o seu caminho. Ancelotti quer que o time do Sul da Itália conquiste títulos e talvez tenha algo a provar depois de ser demitido pelo Bayern de Munique.


A extensão do excelente trabalho de Pochettino no Tottenham é frequentemente subestimada, mas os aplausos parecem particularmente apropriados este ano. Apesar da confusão de um adiamento na mudança de estádio e de uma janela de transferência improdutiva, Pochettino garantiu que o clube permaneça na briga para ficar entre os quatro primeiros lugares pela quarta vez consecutiva, embora ainda exista uma pendência no seu currículo: um troféu. Será nesta temporada?


Deschamps não foi exatamente popular durante o primeiro semestre de 2018. Os críticos afirmavam que ele não estava aproveitando ao máximo o talentoso time da França. As primeiras apresentações na Rússia não ajudaram a dissipar essa impressão, mas, por fim, ele criou uma equipe segura e estável, que deu um salto quando avançou na competição. Engraçado como vencer uma Copa do Mundo pode silenciar até mesmo os críticos mais ferozes.


Era razoável se perguntar se Sarri, um talento tardio de 59 anos que estava deixando a Itália para treinar no exterior pela primeira vez, havia sido um investimento arriscado do Chelsea. Ninguém mais fala sobre isso. Ele transformou um time com dificuldades durante os últimos dias de Antonio Conte em uma equipe fluente e vibrante que ainda pode aguentar um desafio ao título.


A Juventus continua vencendo com Allegri. Ele trouxe quatro títulos da Série A em quatro temporadas. Não é de surpreender, portanto, que ele tenha vencido o prêmio "Golden Bench" da Itália quatro vezes. A grande tarefa agora? Allegri deve transferir o sucesso nacional para a Europa: a Juventus terminou duas vezes com o vice-campeonato da Champions League sob seu comando e, se for melhor, confirmará seu status como um dos grandes nomes da atualidade.


"El Cholo" xinga, reclama e, depois de chutar todas as bolas do lado de fora, geralmente sai por cima. Ele é um dos técnicos mais antigos de um clube de alto nível, chegou ao Atlético em 2011. Na última temporada, ele comandou o Atlético no vice-campeonato de LaLiga e em uma terceira vitória na Liga Europa (a segunda para Simeone). As expectativas podem ter aumentado, mas o argentino continua a excedê-las.


Klopp cria times de futebol que você simplesmente não pode ignorar. A campanha brilhante do Liverpool até a final da Champions League trouxe todas as marcas alemãs, pressão acelerada, comprometimento com ataque e energia implacável, e nesta temporada ele tornou o time mais equilibrado com uma defesa melhorada e uma habilidade de vencer "feio". Tudo o que resta é Klopp finalmente ganhar um troféu, qualquer que seja, com o Liverpool.


As estatísticas da campanha vencedora do título do Manchester City em 2017-2018 revelaram o brilhantismo de Guardiola: a maior margem vencedora do título, 19 pontos, e o primeiro time da primeira divisão a terminar com 100 pontos são dois dos muitos exemplos. Guardiola cria equipes para quem o controle é tudo. e nenhum time inglês jamais comandou jogos com a autoridade e o estilo da irresistível equipe do City de Guardiola.


LEIA MAIS: Quem são os melhores do mundo em 2018? Discuta, concorde, discorde e divirta-se com o ESPN FC 100!