<
>

Volta olímpica do Palmeiras tem Bolsonaro com a taça e provocação ao Flamengo

Após bater o Vitória por 3 a 2, neste domingo, no Allianz Parque, o Palmeiras recebeu a taça do Campeonato Brasileiro e deu a volta olímpica, festejando com seus torcedores.

Durante a celebração, chamou a atenção a fato do presidente eleito Jair Bolsonaro, convidado pela diretoria alviverde para o jogo, ter assumido papel de protagonista.

Ele caminhou pelo campo ao lado dos jogadores e acenou para a torcida a todo momento, enquanto era protegido por uma série de agentes de segurança - atiradores de elite também protegiam o futuro presidente do Brasil.

Ao terminar a volta olímpica, Bolsonaro recebeu a taça e a ergueu, enquanto tirava centenas de fotos, até mesmo com as cheerleaders do Palmeiras.

Em meio à festa, a torcida do Verdão ainda aproveitou para provocar o Flamengo, que se tornou um de seus maiores rivais nos últimos anos.

Enquanto os jogadores faziam a farra no campo, a principal organizada palestrina gritou “vai tomar no c*, cheirinho é meu peru”.

O grito é uma provocação à brincadeira do “cheirinho de Hepta” criado pela torcida flamenguista em 2016, e que na época também virou alvo de troça dos palmeirenses.

Além dos jogadores, a massa alviverde também fez muita festa para os dirigentes da equipe.

O presidente Maurício Galiotte e o diretor de futebol Alexandre Mattos, por exemplo, deram suas próprias voltas olímpicas enrolados em bandeiras do Palmeiras, ganhando muitos aplausos.

Por fim, poucos nomes foram tão gritados quanto o do técnico Luiz Felipe Scolari, chamado de “genial” pelos mais de 41 mil presentes no Allianz Parque.

E assim como ocorreu durante o jogo, os pedidos de “fica, Dudu” também foram ouvidos com frequência.