<
>

Tapa no preconceito: bad boy da geração belga diz que sua irmã gêmea é homossexual e 'é feliz por ela'

play
ESPN lança Fantasy de futebol internacional (0:30)

Você poderá montar seu time da Premier League da Inglaterra, da LaLiga da Espanha ou da Uefa Champions League (0:30)

Em entrevista à France Football, Radja Nainggolan, jogador da Inter de Milão e ausência mais questionada da seleção belga na última Copa do Mundo, desmistificou um pouco da sua “fama de mau”.

“Sou uma pessoa normal, não um bad boy como me etiquetam”, disse o belga. “Posso caminha nos piores bairros e viver normalmente. Compro no supermercado, posso tomar algo e fumar um cigarro sem me esconder. Esconder não é minha forma de vida”.

Na entrevista, Nainggolan falou sobre a infância difícil que teve e também sobre homossexualismo, afirmando que não tem preconceito algum, até mesmo por viver um exemplo próximo.

“Minha irmã gêmea é homossexual e é muito feliz, e eu também. O futuro e a felicidade de uma pessoa não pode ser definida por outra pessoa. Aceito a todos, é minha maneira de ver as coisas”, afirmou o jogador, que falou sobre suas origens.

“Estou orgulhoso de minhas origens, ainda que não tenha sido fácil. Não renego minhas origens. No começo ganhava mil euros por mês. Não era muito, mas para minha família era. Trato de garantir um bom nível de vida para os meus”, disse.

“É minha responsabilidade e me inspiro em minha mãe, Lizi, a pessoa mais importante da minha vida. Morreu faz uns anos”, completou.