<
>

João Mário, de Portugal, é agenciado por Kia Joorabchian e foi para Inter de Milão por R$ 172 milhões

João Mário Naval da Costa Eduardo busca recuperar nesta temporada o futebol que o fez ser um dos meias mais cobiçados do futebol europeu. O jogador de Portugal, que enfrentará a Polônia pela Uefa Nations League, pode decidir um jogo a qualquer momento com um passe genial.

É isso que garante quem já jogou com o talentoso meia de 25 anos, e se beneficiou muito de sua visão de jogo.

"O João é um craque, um gênio do passe. Jogamos juntos no Vitória de Setúbal, quando ele foi emprestado pelo Sporting, em 2014. Quando chegou, ele falou para mim: 'Você sabe fazer gols, só precisa se mexer. Os passes pode deixar que eu garanto", conta ao ESPN.com.br o atacante brasileiro Rafael Martins, ex-Grêmio.

A previsão, de fato, se concretizou.

"Dito e feito, rapaz. Antes do João chegar, eu tinha feito dois gols em seis meses. Depois que o craque entrou no time, jogamos quatro meses juntos e eu marquei 15 gols em 13 jogos, a maioria em jogadas com ele", lembra o brasileiro, um dos maiores artilheiros da história da Copa São Paulo de Futebol Júnior, com 16 tentos em três edições.

"O João é um cara fora do normal, que está colhendo o que plantou. Trabalhou muito e tem um baita potencial. Está passando por um momento excepcional. Merece tudo isso", exalta Rafael Martins.

De fato, João Mário, 25 anos, parece pronto para o grande salto na carreira. Nascido no Porto, iniciou a base nos "Dragões", em 2002, mas ficou só dois anos por lá, indo depois para o Sporting, onde de fato se desenvolveria como jogador e conquistaria a Taça de Portugal e a Supertaça de Portugal em 2015, com boas atuações.

Foi promovido ao time principal dos alviverdes em 2011, tornando-se titular na armação da equipe. Durante fase irregular, em 2014, acabou emprestado ao Vitória de Setúbal, onde conheceu Rafael Martins e recuperou seu bom futebol, retornando com moral ao Sporting.

Seu empresário, o iraniano Kia Joorabchian, o levou em 2016 para a Inter de Milão por R$ 40 milhões de euros (R$ 172 miilhões). Na Itália, porém, ele viveu muitos altos e baixos em sua primeira temporada. Foi emprestado no ano passado ao West Ham, ele não se firmou na Inglaterra - foram apenas 14 jogos e nenhum gol marcado. Com atuações muito criticadas por torcedores e pela imprensa inglesa, ele foi devolvido para Milão.

Com o retorno ao Giuseppe Meazza, João Mário busca recuperar sua confiança. Ele voltou a ser chamado por Fernando Santos para ser o camisa 10 da seleção portuguesa, que defende desde o sub-16. Curiosamente, seu irmão Wilson Eduardo (Braga) irá defender Angola, o país de seus pais.

Como Portugal já está classificada para segunda fase da Nations League, é bem possível que João Mário comece o jogo no banco de reservas.

E que os poloneses estejam avisados: a qualquer hora, caso entre no duelo, ele pode decidir com um passe genial.