<
>

Campeonato Brasileiro: Vejo quanto custaria a tecnologia de linha do gol

play
Andrés Sanchez, presidente do Corinthians, reclama: 'É impossível não terem visto a bola entrar' (1:46)

O presidente corintiano ainda negou que vai à CBF protestar contra a arbitragem (1:46)

O empate por 1 a 1 entre Corinthians e São Paulo, no último sábado, pelo Campeonato Brasileiro, ficou marcado pelo erro grave do árbitro adicional Leonardo Sigari Zanon, que não viu a bola entrar no gol tricolor após chute de Danilo, quando o placar ainda estava 0 a 0.

O equívoco poderia ter sido evitado se o Brasileirão tivesse tecnologia de linha do gol, recurso que é utilizado com enorme sucesso tanto na Copa do Mundo como em ligas como a Premier League, a Ligue 1, a Serie A e a Bundesliga.

Até hoje, ela nunca foi aplicada no país por ser considerada cara. Mas, afinal, quanto ela custa?

A empresa alemã Goal Control, uma das que presta esse tipo de serviço, já divulgou publicamente seus preços.

De acordo com a companhia, que tem seu sistema aprovado pela Fifa, o custo de instalação é de US$ 260 mil (R$ 973,6 mil). Como os aparatos teriam que ser colocados em cerca de 18 estádios, ficaria US$ 4,68 milhões (R$ 17,52 milhões).

A Goal Control também revelou que o custo de operação é de US$ 3,9 mil (R$ 14,6 mil) por partida. Esse montante, multiplicado pelas 380 partidas do Brasileirão, daria US$ 1,482 milhão (R$ 5,55 milhões).

Portanto, o custo total da tecnologia de linha do gol no Brasil num primeiro ano seria de US$ 6,162, ou R$ 23,07 milhões.

Depois, como a maior parte dos equipamentos já estaria instalada, o valor diminuiria bastante, já que só a operação teria que ser paga, e não mais a instalação - salvo o caso de algum estádio novo que ainda não possuísse a novidade.

Em entrevista ao UOL, no último domingo, porém, o diretor de arbitragem da CBF, Coronel Marcos Marinho, disse que a entidade não tem recursos disponíveis para arcar com os custos na instalação e operação do recurso.

"É muito caro. Além de ser muito caro, os estádios do Brasil não estão totalmente preparados para isso. Teriam que ser todos do tipo arena. Se tivéssemos dinheiro sobrando, faríamos, mas não temos", afirmou.

"E, se você para analisar, tiveram uns dois ou três lances desse tipo no Campeonato Brasileiro até agora", completou.

Um árbitro adicional, por sua vez, ganha R$ 830 por jogo. Como são dois executando esta função, sai a R$ 1.640 por partida.

Como ainda há custos de transporte e hospedagem, o custo de ter dois árbitros adicionais nos jogos pode variar de cerca de R$ 1,9 mil a R$ 3 mil, fora os gastos com passagens.