<
>

No retorno de Messi, Betis surpreende, Ter Stegen falha feio, e Barcelona perde de quatro em casa

O Barcelona tinha o retorno de Messi e deixava Dembélé acompanhando das arquibancadas, depois da problemática semana.

Mas o francês, que teve Malcom como substituto, não deve ter sentido inveja dos companheiros que estavam em campo.

Isso porque o Betis pela primeira vez marcou quatro gols no Camp Nou, e derrotou o líder de LaLiga por 4 a 3, calando o Camp Nou. Pelo Espanhol, foi a primeira vez que o Barça levou quatro gols jogando em casa desde abril de 2003, e a primeira derrota para o Betis desde 1998.

A liderança ainda é da equipe catalã, que tem 24 pontos, um a mais que o vice Atlético de Madrid. Já o Betis, com 16, é o 12º colocado.

O primeiro tempo foi de domínio do Betis que abriu o placar aos 19 minutos. Willian Carvalho lançou Junior Firpo, que cortou a marcação de Sergi Roberto com uma bela finta de corpo e finalizou para vazar a defesa do Barcelona pelo 10º jogo consecutivo em LaLiga.

O Barça tentou a resposta aos 24. Em cobrança de falta, Messi alçou a bola na área e Lenglet desviou da forma que conseguiu e a bola tinha endereço, mas Pau López apareceu com uma grande defesa para impedir a igualdade.

E a reação parou por aí. Aos 30, Ter Stegen, que se tornou o goleiro alemão com mais aparições no Espanhol (92 jogos), teve que brilhar para impedir o gol de Tello.

Na verdade, ele apenas adiou o 2 a 0 em três minutos, pois aos 33 o cruzamento vindo da direita parou nos pés de Joaquín, no meio da área, que completou para a rede.

Depois do pesadelo na primeira etapa, o Barcelona voltou dos vestiários disposto a reagir e quase diminuiu o marcado aos dois minutos em grande jogada individual de Messi que terminou com um chute para fora.

Dez minutos depois foi a vez de Suárez, que recebeu do camisa 10 e arriscou, mas um leve desvio no meio do caminho fez com que a bola saísse pela linha de fundo.

O jogo cresceu e pouco depois de ter a chance do terceiro, Tello derrubou Jordi Alba dentro da área. Pênalti para o Barcelona que Messi cobrou com categoria para recolocar o time no jogo.

Ou era o que ele pensava, pois nem deu muito tempo para iniciar uma pressão em busca do empate e Ter Stegen deixou o Barça na mão. Lo Celso entrou na área pela direita e bateu cruzado. A bola que parecia bem defensável bateu nas mãos do goleiro, subiu e foi morrer na rede. Um frangaço.

Mais uma vez a torcida da casa sonhou com a reação quando Munir, que entrou no segundo tempo na vaga de Malcom, recebeu em posição legal e tocou para Vidal diminuir o placar, com confirmação do VAR, aos 33.

Só que, quatro minutos depois, Canales, ex-Real Madrid, apareceu para desviar, de carrinho, o cruzamento de Junior Firpo marcar o quarto.

A partida não podia acabar assim e o VAR voltaria a aparecer, agora para validar o gol de Messi aos 48, depois da arbitragem apontar um impedimento inexistente de Vidal. Os poucos instantes restantes, porém, não foram suficientes para que a derrota fosse contornada.