<
>

Rádio francesa diz que Neymar recebe mais de R$ 1 milhão por aplaudir a própria torcida

play
Insigne supera Buffon, converte pênalti e garante empate para o Napoli contra o PSG (0:27)

O atacante italiano bateu forte, rasteiro, para deixar igual no estádio San Paolo (0:27)

As palmas de Neymar em direção à torcida do Paris Saint-Germain podem não ser um agradecimento espontâneo, mas algo previsto em contrato e que representa um ganho financeiro para o jogador.

O documentário sobre o PSG, feito pela France 2, levantou muita polêmica, e segundo a rádio RMC, alguns jogadores do clube cobram valores extras para terem um comportamento diferente fora de campo.

De acordo com o veículo, alguns jogadores cobram, entre outras coisas, para aplaudir os torcedores após os jogos. No caso de Thiago Silva seria de 33 mil euros (R$ 140,88 mil), porém Neymar receberia um valor bem acima, levando 375 mil euros (R$ 1,6 milhão) para isso.

O PSG, contudo, saiu em defesa de seus jogadores e respondeu às informações em nota oficial.

CONFIRA NA ÍNTEGRA A RESPOSTA DO PSG

1. Todos os contratos esportivos do Clube e de seus subsidiários estipulam um bônus de ética mensal, cujo pagamento está vinculado à obtenção dos chamados objetivos éticos. Este bônus variável é, portanto, uma parte da remuneração mensal.

2. Todos os atletas do Clube (futebol, futebol feminino, handebol, judô) têm este bônus ético em seu contrato, independentemente de sua idade e status (desde o primeiro contrato no centro de formação até o mais alto nível profissional).

3. Entre estas 12 regras éticas: comportamento exemplar em relação a parceiros, adversários, árbitros e delegados oficiais; pontualidade e diligência em todo treinamento; a ausência de apostas relacionadas a competições nas quais o Clube participa ou o respeito aos compromissos do jogador com a mídia.

4. Nenhum jogador jamais foi penalizado por não ter aplaudido os torcedores no final de uma partida.

5. Este sistema visa enfatizar o peso e a importância da instituição como um todo (clube, torcedores, dirigentes, funcionários, parceiros, patrocinadores). O objetivo não é dar um bônus para alcançar esses objetivos; o objetivo é pedagógico em torno dos valores que o clube pretende incorporar.

6. Antes da assinatura do contrato, um discurso completo e claro acompanha a apresentação desta cláusula. É particularmente lembrado que estas regras de senso comum são ainda mais essenciais no contexto ultra midiático do clube.

Em quais casos os jogadores tem uma parte de seu bônus pela ética retirado? Em casos excepcionais. Em particular, ausências injustificadas ou comentários negativos como no caso Periscope. Na extrema maioria dos casos, os objetivos perseguidos por esta cláusula são alcançados.

Para onde vai o dinheiro retirado dos prêmios de ética? É inteiramente doado para a Fundação Paris Saint-Germain.

Esses bônus de ética só existem no PSG?
 Não. Nós os encontramos hoje em muitos clubes esportivos, mas também na Carta dos Bleus criada em 2013 pela FFF. Em geral, esses bônus estão previstos na Convenção coletiva do esporte de 7 de julho de 2005, para jogadores profissionais, no artigo 12-6.