<
>

Treinador do Boca diz que final da Libertadores contra o River é 'como se fosse Barcelona x Real Madrid'

play
Tevez vê esta como a 'Libertadores mais difícil dos últimos anos', mas mantém confiança no bi (0:36)

Apesar do alto nível, atacante crê que Boca está entre os favoritos ao título (0:36)

O técnico Guillermo Barros Schelotto fez o Boca Juniors chegar a mais uma final de Copa Libertadores da América, desta vez contra o River Plate. O primeiro jogo entre os eternos rivais de Buenos Aires será neste sábado.

Em entrevista ao jornal espanhol Marca, o ex-atacante xeneize falou sobre a grande expectativa gerada na Argentina por conta da decisão inédita.

"É um mérito tanto do Boca quanto do Riverque chegaram a esta final. Não será fácil enfrentá-lo para qualquer um deles. Vai ser uma final muito próxima. Eu não sei se será o mesmo que aconteceu com o Real Madrid e Atlético de Madrid na Champions, mas será algo muito semelhante", declarou.

O treinador ainda comparou a decisão do torneio sul-americano, que será realizada pela última vez em dois jogos, com o principal clássico do futebol espanhol.

"É como jogar um Barcelona e Rea Madrid. Não importa o estádio, qualquer um pode ganhar como visitante ou local. O que temos é que tentamos tirar proveito do primeiro jogo, porque se tirarmos vantagem em La Bombonera o jogo será diferente, mas eu realmente não acho que seja por ser local. Neste nível de rivais, não há situação vantajosa".

Ele ainda ressaltou que não preferia um brasileiro na decisão, apesar de toda pressão para vencer o River Plate.

"É uma final eterna contra o eterno rival, é fantástico chegar à final contra o rival habitual, tanto para o Boca como para o River. Conseguimos nos impor contra os brasileiros. Ultimamente na seleção as coisas foram embora e esta final fala bem do futebol argentino. Mais do que a luta ou que um dos dois acabará perdendo, eu vejo isso como positivo para a Argentina", declarou.