<
>

Gás de pimenta, provocação e suspensão; relembre o último Boca x River pela Libertadores

play
Último Boca Juniors x River na Libertadores teve gás de pimenta, invasão, fantasma em drone e mais (0:36)

Confira as 10 melhors fotos do duelo polêmico em 2015 (0:36)

Boca x River é diferente; e seu último encontro em Libertadores foi único.

Os finalistas da competição continental colecionam grandes histórias, e com certeza o último jogo na Copa entre os dois - com fantasmas, gás de pimenta e muita polêmica - é uma delas.

Oitavas de final de 2015. Na ida, River Plate 1 a 0, no Monumental de Nuñez; gol de Carlos Sánchez, hoje do Santos.

A volta, em La Bombonera, não teve vencedor. Era 14 de maio e o Boca precisava vencer para, pelo menos, levar a decisão para os pênaltis.

O primeiro tempo foi muito pegado e pouco jogado. Faltas, cartões e poucas chances. Pelo River, Driussi conseguiu um chute perigoso. Do lado do Boca, Osvaldo parou em Barovero, goleiro adversário.

O problema foi no intervalo. Ao se dirigirem para os vestiários, muitas reclamações com o juiz, nada de novo. Ao retornar, uma ingrata surpresa para os visitantes.

A ligação do campo para os vestiários em La Bombonera é feita por um túnel inflável. Ao ver os jogadores do River retornando, torcedores do Boca Juniors se penetraram no túnel de acesso atiraram spray de pimenta nos atletas.

O produto lançado nos jogadores machucava o olho, com uma sensação de queimação, e até feria a pele. Leonardo Ponzio, Matías Kranevitter, Leonel Vangioni e Ramiro Funes Mori foram os mais atingidos.

O "intervalo" durou 75 minutos, durante os quais um drone com um fantasma com um "B" pintado, como vários vistos na arquibancada, voava sobre os jogadores - para delírio dos torcedores. A provocação, feita até hoje, tem referência no rebaixamento do clube em 2011.

Após quase uma hora e meia, o árbitro e os diretores da Conmebol decidiram suspender o jogo. Dois dias depois, o Boca Juniors estava eliminado da competição, e o River Plate se preparando para enfrentar o Cruzeiro nas quartas de final.

O clube mandante, além de não participar mais da Libertadores, teve que pagar uma multa de US$ 200 mil (cerca de R$ 600 mil na época) e jogar suas próximas quatro partidas em casa por competições da Conmebol (Libertadores e Sul-Americana) de portões fechados - além de não ter ingressos de visitante nas próximas quatro partidas como visitante.

Seguindo na competição, o River Plate se sagrou tricampeão, após bater o Tigres (MEX) na final.

No total, os rivais já se enfrentaram 24 vezes pela Copa Libertadores antes da final de 2018. Foram 10 vitórias do Boca, seis do River, sete empates (um que levou uma decisão aos pênaltis, na qual o River passou), e um jogo - o último - suspenso.