<
>

Seleção brasileira: Allan foi convocado por Tite após brilhar no Napoli, time de magnata do cinema italiano

play
Com 'rodinha no pé', Allan é elogiado por Tite após convocação: 'É box to box e tem mobilidade' (2:19)

O jogador é volante do Napoli, da Itália (2:19)

Grande novidade da lista de Tite para os amistosos da seleção brasileira, que serão realizados em novembro, o volante Allan é um dos destaques do Napoli nas últimas temporadas.

Seu ótimo desempenho no empate da equipe italiana por 2 a 2 com o PSG pela terceira rodada da fase de grupos da Uefa Champions League rendeu elogios da imprensa mundial. Aos 27 anos, o jogador revelado no Vasco está há seis anos na Itália.

Como o Napoli é propriedade de Aurelio De Laurentiis, um dos maiores produtores de filmes da Europa, o brasileiro desfruta alguns momentos "de estrela de cinema". É bastante comum o cartola levar o elenco napolitano às pré-estreias das novas películas da Filmauro, sua produtora.

Nesses eventos, o ex-vascaíno tem até a oportunidade de passar pelo tapete vermelho e conhecer os mais famosos atores do cinema italiano.

"O presidente todo ano nos leva para ver os filmes que ele lança em dezembro. Ele leva também os atores famosos na Itália que participam para estar por lá. A maioria eu não conheço, mas sei que são famosos (risos)", contou o jogador, ao ESPN.com.br, em 2016.

Nesta mesmo entrevista, ele revelou que tinha como grande sonho da carreira defender a seleção brasileira.

Campeão mundial sub-20

Allan Marques Loureiro é nascido no Rio de Janeiro e desde os 13 anos recebia ajuda de custo para realizar seu sonho de jogar futebol e ajudar sua família.

Destaque no futsal, o meia jogava sempre entre os meninos mais velhos até chamar atenção do Olaria. "Fui campeão carioca, depois fui para o campo e passei pelo Madureira. Joguei no Flamengo com 13 anos no campo, mas não deu muito certo".

Depois disso, o jogador foi para a base do Vasco e fez uma parceria de sucesso com Phillipe Coutinho dentro e fora dos gramados.

"Lembro em um Brasileiro Sub-17 que fomos fazer a final contra o Santos do Neymar. Coutinho saiu par fazer exames na Inter de Milão e voltou só para a decisão. Foi legal porque vencemos por 2 a 1. Neymar fez um gol espetacular de falta, mas foi muito bem marcado".

Depois de ir bem no campeonato Carioca de juniores, Allan foi promovido aos profissionais por Dorival Jr, aos 18 anos.

"Fiquei dois meses treinando com os caras fazendo adaptação até estrear. Aprendi muito para ver as diferenças. Veio uma chance contra o Atlético-Go e ele me colocou no intervalo. Ele perguntou se eu estava preparado. Eu respondi: 'Claro, professor'. Mas eu estava morrendo de medo (risos)".

Depois disso, foi aos poucos se firmando na equipe e chamado para jogar o Mundial sub-20 de 2011 com a seleção brasileira. Foi o 12º jogador do técnico Ney Franco nas partidas decisivas.

"Até as quartas de final eu não tinha entrado, estava apreensivo porque estava bem no Vasco. Achei que não ia ter mais chances e estava chateado porque todos tinham jogado. Ele me colocou contra a Espanha na prorrogação e fui bem".

"Lembro que nos primeiros 30 minutos a gente não viu a cor da bola por causa daquele estilo de tocar. Mas depois o Ney Franco acabou indo bem. Eles empataram com a gente, mas vencemos nos pênaltis".

Ele ainda entrou nas semifinais e na decisão contra Portugal e ajudou o time a conquistar a competição.

"Daquele nosso time todos estão em time grande: Danilo, Casemiro, Alex Sandro, Juan Jesus, Fernando, Coutinho, Gabriel, Dudu. Foi um dos pontos altos da minha carreira e ser campeão é uma coisa maravilhosa que ficou para minha história. Vou contar para os meus filhos".

Neste mesmo ano pelo Vasco, Allan foi campeão da Copa do Brasil, vice do Brasileiro e chegou até as semifinais da Copa Sul-Americana.

"Ajudamos a colocar o time no lugar que merecia. Nós que viemos da base foi ainda mais especial por vermos todas as dificuldades".

Ida para Europa

Em 2012, após a queda nas quartas de final da Copa Libertadores da América para o Corinthians, o meia foi comprado pela Udinese.

"Tinha cumprido meu ciclo de aprendizado e queria novos desafios. Foi uma coisa que apareceu muito boa para mim. Não pensei duas vezes porque o clube iria disputar uma preliminar da Champions League".

Mesmo com apenas 20 anos, ele não sofreu com a adaptação ao novo time e ao país. "A cidade é ótima e estão muito acostumados a receber jovens estrangeiros. Cheguei com meu filho e minha esposa e deu tudo certo".

"Eu fui uma contratação que chegou sem badalação, era o mais desconhecido e que tinha custado menos. Cheguei na minha e joguei muitos jogos no primeiro ano. Foram 36 só no Italiano, foi maravilhosos e não poderia ser melhor do que foi".

Depois de três temporadas com 115 partidas pela Udinese, Allan foi comprado pelo Napoli por 11 milhões de euros (aproximadamente R$ 38 milhões). Em seu quarto ano na equipe napolitana, ele fez 8 gols e atuou em 144 partidas.

Segundo apurou a ESPN, o volante Allan, de 27 anos, do Napoli, havia sido procurado pela FIGC (Federação Italiana de Futebol) para se naturalizar italiano e defender a seleção Azzurra.

O atual treinador da equipe, Roberto Mancini, é fã de seu futebol e queria contar com o brasileiro para o próximo ciclo da Copa do Mundo, visando evitar o vexame das eliminatórias para o Mundial de 2018.