<
>

Confusão com Mourinho foi para vestiários após apito final, mas técnico colocou panos quentes

A confusão com José Mourinho após o empate entre Manchester United e Chelsea, por 2 a 2, foi do campo para o vestiário.

A repórter da ESPN presente ao estádio do Chelsea, Natalie Gedra, relatou que era possível ouvir, da sala de entrevistas, Mourinho e outras pessoas discutindo.

Após o gol de empate dos azuis, Marco Ianni, assistente do técnico Maurizio Sarri, comemorou o gol de Barkley, que igualou o placar, primeiro com um soco no ar a metros do rosto do português que, inicialmente, não percebeu a provocação.

Não contente, Ianni voltou a comemorar em frente ao banco de reservas do United, despertando, enfim, a atenção de Mourinho, que correu atrás do auxiliar, sendo contido antes de conseguir chegar perto dele.

Após o jogo, Sarri e Mourinho conversaram, e parecia que a confusão estava terminada. Mas o tumulto seguiu.

PANOS QUENTES

Mais tarde, um pouco mais tranquilo, Mourinho falou à imprensa sobre o tumulto e a partida.

"Foi um jogo fantástico, um resultado muito injusto para nós, mas isso é futebol", disse Mourinho. "Fomos melhores mesmo quando estávamos perdendo. Estávamos no controle, taticamente. O resultado é realmente injusto conosco", disse o técnico.

O treinador elogiou muito o francês Martial, autor dos dois gols vermelhos na partida.

"Anthony Martial está melhorando, ele está fazendo coisas diferentes. Ele está mais completo do que antes, mas precisa melhorar. Ele tem muito talento", disse.

Sobre a confusão, Mourinho preferiu contemporizar. Indagado sobre sua reação, ele disse:

"Não foi minha reação, foi do assistente do Sarri (Marco Ianni). Ele foi muito deseducado, mas Sarri tomou conta de tudo. Ambos se desculparam e eu aceito. Para mim, a história acabou", disse.

"Não façam o que todos fazem e digam que 'O Mourinho é que faz coisas'. Eu não sei o nome dele e não preciso saber, está tudo bem".