<
>

Caminero será julgado por lavagem de dinheiro do narcotráfico e pode pegar 4 anos de prisão na Espanha

José Luís Caminero durante evento do jornal Marca, em 2013 Getty Images

O ex-meio-campista José Luis Caminero, que jogou por Real Madrid, Atlético de Madri e Valladolid, além de ter representado a seleção da Espanha na Copa do Mundo de 1994, será julgado na próxima segunda-feira pela Justiça espanhola.

Atualmente trabalhando como diretor esportivo do Málaga, Caminero é um dos 15 acusados de lavar dinheiro procedente do narcotráfico, e pode ser sentenciado a quatro anos de prisão.

A promotoria pede seis anos de detenção para os cabeças da rede, identificados como Eduardo H.J., Jorge B.H. e Francisco D.S., e quatro anos para todos os outros, incluindo o ex-atleta.

De acordo com documentos obtidos pelo jornal El Confidencial, Eduardo H.J. usava uma joalheria como centro de recepção de dinheiro de organizações criminosas da Colômbia e do México, que operam principalmente no comércio de cocaína.

O dinheiro era entregue no estabelecimento em notas pequenas (5, 10, 20 e 50 euros) e posteriormente trocado em outros locais por cédulas de valor maior (100, 200 e 500 euros). Em seguida, era transportado para outros países.

Caminero foi detido pela primeira vez em 8 de junho de 2008, transportando 58,5 mil euros em notas de 400, supostamente procedentes do esquema de lavagem. As entregas das cédulas aconteciam na parte de trás da joalheria, onde "se reuniam diversas pessoas com bolas de plástico contendo notas de dinheiro", segundo a promotoria.

De acordo com a acusação, o ex-jogador da seleção espanhola tinha "contato assíduo" com um dos cabeças da trama, Francisco D.S., que proporcionava "com regularidade" cédulas pequenas para serem trocadas por notas de 200 e 500 euros.

Ao todo, o total apreendido pela polícia na operação foi de 1.854.500 euros.