<
>

Brasileiro lembra quando foi eleito pior contratação da história do Tottenham e até se diverte com a situação

play
ESPN lança Fantasy de futebol internacional (0:30)

Você poderá montar seu time da Premier League da Inglaterra, da LaLiga da Espanha ou da Uefa Champions League (0:30)

No Brasil, o lateral-esquerdo e meia Gilberto deixou boas lembranças nas equipes em que jogou.

No São Caetano, foi até as quartas de final da Libertadores e conquistou o Campeonato Paulista. No Flamengo, um carioca. No Vasco, um Brasileiro e uma Mercosul. E, para arrematar, ganhou ainda uma Copa das Confederações e uma Copa América. Na Inglaterra, porém, ele é mais lembrado por outros motivos, bem menos lisonjeiros.

"Brasil finalmente produz um lixo de jogador", disse uma manchete específica de jornal da qual o jogador confessa se lembrar até hoje.

"É verdade. Minha passagem no Spurs foi um pesadelo. Mas eu fui bem no Brasil, na seleção e na Alemanha, ganhei títulos", diz o jogador de 42 anos, que hoje já consegue se divertir com a passagem ruim pela terra da Rainha Elizabeth.

O jogador atuou por apenas seis jogos nos Spurs, em 2008. Mas os torcedores nãos e esquecem. No ano passado, ele foi escolhido como a pior contratação da história do clube e até falou sobre isso no seu perfil do Instagram.

"De certo modo, é legal ser lembrado, mas eu meio que concordo com os torcedores", disse Gilberto, aos risos. "Os jogadores têm que se acostumar", prega.

"Eu vinha de quatro anos muito bons na Alemanha, mas o Hertha Berlin não jogava Champions League e meus amigos estavam jogando. Quando o Tottenham quis me contratar, achei que era uma boa", conta.

O goleiro Gomes, ex-Spurs na época de Gilberto, hoje no Watford e cidadão-residente no Reino Unido, comenta a situação.

"Na época dele, o futebol na Inglaterra ainda era muito calcado em bolas longas e ele não se adaptou muito. No futebol inglês de hoje, ele certamente teria mais sucesso", diz ele.

Para aumentar a pressão sobre Gilberto, ele foi o primeiro brasileiro a vestir a camisa do time principal do clube. Ele chegou em janeiro, mas, por conta de lesão, só estreou em março.

"Na minha estreia contra o PSV, pela antiga Copa da Uefa, eu fui dar um drible, perdi a bola para o Farfan e eles fizeram o gol. Saí no intervalo, com uma lesão na panturrilha. No jogo de volta, fomos eliminados e eu me senti pessoalmente responsável por isso", conta Gilberto.

"Eu acho que o jogador brasileiro é um pouco tímido. Ele é alegre, gosta de brincar, mas tem dificuldade para se envolver com coisas diferentes. Ele vem para cá mas ainda quer comer arroz com feijão. É preciso tentar outras coisas", diz.

Gilberto ainda sente um pouco pelo período em que não foi bem no Tottenham.

"Eu quero pedir desculpas, de coração, aos torcedores do Tottenham. Eu queria muito ter ficado, mas rapidamente fiquei marcado pelos erros. O time era bom, mas eu estava em um mau momento pessoal", diz ele.

E ligação dele com o clube londrino pode voltar a acontecer. Com a ideia de abrir uma escolinha de futebol no Brasil, ele espera poder se associar ao Tottenham.

"Barcelo, PSG, Internazionale e Roma têm escolinhas aqui. Por que não o Tottenham?", diz ele.