<
>

Presidente da Independente critica soberba no São Paulo: 'Raí, Lugano e Ricardo Rocha precisam ser cobrados como dirigentes'

O presidente da Torcida Independente, Henrique Gomes de Lima, conhecido como Baby, classificou como soberba a decisão da diretoria do São Paulo de vetar a presença de torcedores nos treinos antes de jogos decisivos do Campeonato Brasileiro. Isso ocorreu na semana anterior ao confronto com o Palmeiras, no sábado passado, e nesta semana de preparação para o duelo com o Internacional, no domingo.

A Independente se manifestou primeiramente com uma nota oficial, na qual chamou Raí, Ricardo Rocha e Lugano --trio que trabalha profissionalmente na diretoria tricolor-- de perdedores e exaltou Rogério Ceni, que conduz o Fortaleza com sucesso na Série B.

"Raí, Lugano e Ricardo Rocha são nossos ídolos, sim, como jogadores. Eles foram campeões como jogadores, como o Rogério Ceni foi. Mas, do mesmo jeito que alguns não tiveram dó nem piedade do Rogério Ceni quando ele estava em fase de adaptação [como técnico], a cobrança tem de ser igual [para o trio], né? Raí, Ricardo Rocha e Lugano têm de ser cobrados como dirigentes", disse Baby para a ESPN.

"Quero deixar claro que o que a torcida do São Paulo fez em 2017 e o que vem fazendo em 2018 nenhuma torcida do mundo fez e faz. Até fizeram uma reportagem para mostrar a mobilização que a torcida são-paulina, e a organizada, conseguiu para tirar o São Paulo da zona de rebaixamento. A força disso tudo foi o torcedor são-paulino. A Independente puxou os treinos, arrecadou alimento juntamente com o São Paulo no Morumbi. E você viu a diferença que fez. Neste 2018 a [torcida] do Corinthians começou a fazer isso e mostrou que dá certo também. Foram campeões em cima do Palmeiras no Allianz Parque e podem até ganhar o jogo da final da Copa do Brasil", prosseguiu.

Segundo Baby, o entendimento de que a diretoria tricolor foi soberba ao vetar os treinos abertos se deu justamente por ignorar esse passado recente, minimizando a força que o apoio das arquibancadas pode trazer.

Faltam só dez rodadas para o fim do Campeonato Brasileiro, e o São Paulo terá um embate decisivo em Porto Alegre. O time tricolor perdeu a liderança nas últimas rodadas e está na quarta colocação, com 52 pontos, quatro a menos que o primeiro colocado, o Palmeiras. O Internacional tem 53 e é o segundo. Ou seja, a briga é contra um rival direto pela taça.

"Então, em relação à diretoria de futebol, o que colocamos como soberba, é isso aí. Eles [diretores] estão pouco se lixando com o torcedor. O que levou o São Paulo a permanecer na Série A foi o torcedor e o que pode levar o São Paulo ao título é a força do torcedor dentro e fora do Morumbi. Eles [diretores] estão meio que minando o torcedor e afastando. Isso é totalmente errado. Eles não estão acima do clube e o maior patrimônio do clube é o torcedor", disse Baby.

"O Ricardo Rocha foi um dos dirigentes que falou que a Sul-Americana não era prioridade. Que a prioridade era o Campeonato Brasileiro. Inaceitável perder pontos para América-MG, Paraná, Fluminense, tropeços... encarar o clássico contra o Palmeiras e achar que é normal brigar para empatar. O São Paulo é maior que tudo isso".

Apesar de não estar satisfeito com o veto da diretoria do São Paulo, o presidente da Independente disse para a reportagem que o apoio ao time e à comissão técnica não sofrerá qualquer abalo. A organizada se prepara para viajar para Porto Alegre e pretende deixar a capital paulista com pelo menos 20 ônibus lotados no próximo sábado, levando 500 torcedores ao Beira-Rio.

O São Paulo é segundo clube com melhor média de público no Campeonato Brasileiro, com média de 31.416 pessoas por jogo.