<
>

Paquetá tem lugar? Veja quem o Milan contratou para o setor dele nos últimos cinco anos

Lucas Paquetá chega a um gigante combalido. Depois de o Flamengo acertar a venda do meio-campista ao Milan por 35 milhões de euros, restando apenas os exames médicos para a assinatura do contrato, o atleta de 21 anos terá sua primeira experiência internacional em um time tradicional que vem de temporadas ruins. Nesse cenário, qual será o papel do brasileiro?

O ESPN.com.br fez um levantamento dos jogadores contratados pelo Milan nos últimos cinco anos para atuar seja como meia-atacante ou um atacante pelos lados do campo para imaginar a realidade que Paquetá encontrará. Entre jogadores que já saíram e ficaram, três deles seguem atuando como titulares regularmente: Suso, Hakan Calhanoglu e Giacomo Bonaventura.

Veja, por temporada em que foram contrados, quais são os jogadores e quanto custaram:

2018-19
Alen Halilovic (sem custos - Hamburgo)
Samu Castillero (25 milhões de euros - Villarreal)

Tido como grande promessa do futebol croata, Halilovic foi ainda na base ao Barcelona, mas não decolou. No Milan, entrou só nos minutos finais de um jogo contra o Dudelange, de Luxemburgo, pela Liga Europa. Já Samu Castillejo foi titular apenas uma vez no Italiano e soma um gol. Atuou como titular nos dois confrontos do clube na competição continental.

2017-18
Hakan Calhanoglu (22 milhões de euros - Bayer Leverkusen)
Fabio Borini (6,5 milhões de euros - Sunderland)

Após passagem de destaque pelo Bayer Leverkusen, chegou ao Milan após ter ficado quatro meses sem jogar, devido a uma quebra de contrato com o Trabzonspor. Sempre jogando regularmente, o meia-atacante teve bons números em sua primeira temporada, com oito gols e 11 assistências em 39 partidas por Italiano e Liga Europa. Atualmente, tem atuado mais aberto pela esquerda.

Borini, por sua vez, chegou atuando como titular e perdeu espaço. Na atual campanha, são apenas quatro partidas, sendo três nos 11 iniciais.

2016-17
José Sosa (7,5 milhões de euros - Besiktas)
Mario Pasalic (1 milhão de euros - Chelsea)
Matías Fernández (800 mil de euros - Fiorentina)
Gerard Deulofeu (700 mil de euros - Everton)
Lucas Ocampos (500 mil de euros - Genoa)

Ocampos (seis meses e 12 jogos), Deulofeu (seis meses, 18 jogos e quatro gols) e Matías Fernández (um ano, 13 jogos e um gol) ficaram por empréstimo por pouco tempo e logo deixaram o clube. Quase o mesmo vale para Sosa (um ano, 19 jogos) - a diferença é que ele foi contratado em definitivo, antes de ser emprestado e vendido na sequência. Pasalic atuou com maior frequência (27 jogos e cinco gols), mas também não foi além de um ano atuando por empréstimo pelo Milan.

2015-16
Andrea Bertolacci (20 milhões de euros - Roma)
Simone Verdi (450 mil de euros - Torino)
Kevin-Prince Boateng (sem custos - Schalke 04)

Um jogador mais centralizado, Bertolacci atuou regularidade na temporada em que chegou - atuou em 27 das 38 rodadas do Italiano, sendo 21 como titular. Sofreu com lesões em 2016-17, foi emprestado ao Genoa em 2017-18, atuando como titular absoluto, e ficou no banco em todas as partidas do time na atual edição da Série A.

Verdi foi emprestado ao Eibar e Carpi, antes de ser vendido ao Bologna por 6,5 milhões de euros. No fim, disputou apenas dois jogos pela Copa da Itália pelo Milan. Já Boateng viu sua segunda passagem pelo clube durar somente seis meses, período em que disputou 14 jogos, somente dois como titular.

2014-15
Giacomo Bonaventura (7 milhões de euros - Atalanta)
Suso (1,3 milhão de euros - Liverpool)
Jérémy Menez (sem custos - PSG)
Alessio Cerci (sem custos - Atlético de Madri)

Podendo jogar por dentro ou mais aberto, Bonaventura sempre foi titular desde que chegou ao Milan e só atuou pouco na temporada 2016-17, quando sofreu uma lesão séria e perdeu quase metade da campanha. Além disso, se estabeleceu na seleção italiana nos últimos meses.

Após uma grande temporada em 2014-15, com 16 gols em 33 jogos pelo Italiano, o francês Menez, que atua tanto nos lados como centralizado, sofreu com lesão em sua segunda campanha pelo clube. Na sequência, retornou à França para defender o Bordeaux.

Já Cerci, que também é versátil no ataque, ficou um ano no total no clube, tendo disputado 33 partidas (18 como titular). Fez apenas um gol.

Por fim, Suso, que também joga em diferentes posições no setor ofensivo, chegou no meio de 2015 e só foi jogar regularmente no primeiro semestre de 2016, em empréstimo ao Genoa. O espanhol retornou para ser titular no Milan. Na Série A 2016-17, foram sete gols e nove assistências. Na edição seguinte da liga, novo brilho: titularidade, seis gols e sete assistências.