<
>

Hernanes investe e fatura com vinícola na Itália e restaurante chique em Fernando de Noronha

play
Ex-São Paulo, Hernanes deixa de 'profetizar' para ensinar seguidores a cultivarem uva: 'Precisa se bronzear também' (0:22)

Dono de vinícola, meia do Hebei China Fortune deu aula em sua conta no Instagram (0:22)

Desde o início da carreira, Hernanes sempre se mostrou um jogador de inteligência acima da média. E sua sabedoria não se limita às quatro linhas do gramado, já que hoje, aos 33 anos, o meia do Hebei China Fortune vive grande fase no mundo dos negócios.

Atualmente, o ídolo do São Paulo fatura com duas paixões: vinhos e gastronomia.

O atleta é dono da Ca' Del Profeta, vinícola sediada em Montaldo Scarampi, uma pequena comuna italiana de 700 habitantes da região do Piemonte, e que produz 15 mil garrafas por ano.

Além disso, ele é também proprietário do Corveta, restaurante requintado na ilha de Fernando de Noronha, um dos maiores paraísos turísticos do Brasil.

Em entrevista à ESPN, ele falou sobre sua vida de businessman.

A VINÍCOLA

Nascido no Recife, Hernanes não teve contato com o vinho durante a maior parte da vida. Ele só foi descobrir e se apaixonar pela bebida em 2010, quando foi vendido pelo São Paulo para a Lazio, da Itália.

"Eu não sabia nada de vinho, nem de bebida alcoólica. Só tomava suco de frutas (risos). Só que eu ia aos restaurantes na Itália e nunca tinha suco. Aí um dia provei o vinho e gostei. Fiquei fascinado pela história da bebida, pela pluralidade de tipos e o mundo diverso das uvas e dos vinhos. Começou a me chamar a atenção e foi crescendo o interesse e o hábito de provar", contou.

Quando foi comprado pela Inter de Milão, na temporada 2013/14, o meia passou a levar a paixão a sério. E as coisas evoluíram de vez em 2015/16, quando o brasileiro se transferiu para a Juventus e transformou o vinho em um negócio.

"Em Milão, em comprei uma adegazinha, que depois ficou pequena. Quando cheguei a Turim, fui fazer uma visita pela região dos vinhos e me encantei com o lugar. Eu não tinha casa na Itália e achei que ali era o lugar, então passei a procurar alguma coisa naquele local. É um lugar de paisagens lindas, ótimos restaurantes, e me interessei bastante", lembrou.

"Aí achei uma casa que tinha parreiras e que produziam uvas muito boas. Foi aí que tive a ideia de produzir meu vinho. Inicialmente, não surgiu como um negócio, era mais paixão, mesmo. Mas as coisas foram evoluindo de 2015 para cá", relatou.

Hernanes, então, montou parceria com uma vinícola de renome da região. Ele cultiva as uvas, colhe e entrega para a produtora, que se encarrega de transformá-las em vinho, engarrafar e distribuir - as garrafas podem inclusive serem compradas pela internet.

"São três tipos de vinho. Tem o espumante frisante doce, que leva uns quatro meses para ficar pronto. Aí temos também o Barbera d'Asti e o Grignolino d’Asti, que levam de sete a oito meses. O Barbera ainda fica mais 18 meses em barril de carvalho, então leva mais tempo. Estamos produzindo mais ou menos 15 mil garrafas por ano, 5 mil de cada tipo", exaltou, orgulhoso.

Os preços são bem em conta: o Brachetto Piemonte (espumante frisante) custa 11 euros (R$ 47,61), enquanto o Grignolino sai por 12 euros (R$ 51,94) e Barbera por 13 euros (R$ 56,27).

Segundo o boleiro, as coisas caminham de maneira perfeita.

"Estamos indo para nosso 2º ano em operação agora. No momento, a gente está se posicionando no mercado, depois de ficar mais focado nas vendas para enotecas e restaurantes. Agora, estou profissionalizando toda a operação. O que era um lazer virou um negócio mesmo. Essa 2ª safra vamos exportar para Brasil, Estados Unidos e México, e assim vamos ampliando nosso mercado", explicou.

E quem se deu bem nessa história foram seus colegas de equipe.

"Quando saiu a 1ª safra de vinhos, dei uma garrafa para cada colega da Juventus. Alguns funcionários até fizeram encomendas e se interessaram depois. Os que mais gostavam de vinho eram o Barzagli, o Marchisio e o Bonucci, mas quase todos os italianos, de modo geral, têm mais a cultura do vinho e apreciam bastante", ressaltou.

Como de hábito, Hernanes ainda brinda com suas pérolas de sabedoria.

"Sou conhecido como 'Profeta' por ser muito ligado à Bíblia, e o primeiro milagre de Jesus foi transformar água em vinho. Então, tem tudo a ver (risos). Já dizia Leonardo Da Vinci que, antes de escrever um texto, é melhor tomar dois cálices de vinho para que não fique muito chato. Depois, com mais lucidez, ele revisava para eliminar os erros. Compartilhar uma garrafa de vinho com alguém é algo especial. Existe toda uma cultura por trás disso, além de ser uma bebida muito saborosa", filosofou.

O RESTAURANTE

Quando foi para a Itália, Hernanes também se apaixonou pelo mundo da culinária. Pernambucano de alma e coração, resolveu apostar em um estabelecimento em Fernando de Noronha, e também já vem colhendo os frutos.

"Eu tenho um restaurante e uma pousada na ilha, que é um paraíso. Fui visitar Noronha pela primeira vez em 2013 e me apaixonei perdidamente. Apareceu essa chance e, como restaurante é algo que gosto muito, resolvi começar esse empreendimento. Já sabia uma coisa ou outra porque tenho um restaurante e uma enoteca em Turim, então foi mais fácil", comentou.

Chique, o Corveta tem dois andares e pode receber até 130 pessoas. No cardápio, como era de se esperar, os destaques são os frutos do mar, como peixes, camarões e lagostas. Também há pescados que não são nativos da região, como bacalhau e salmão.

Além de gostar de comer fora, o atleta também curte cozinhar.

"Eu aprendi a cozinhar bem até. Faço um churrasquinho firmeza, mas esse não entra para a conta (risos). Minhas especialidades são o risotto e o bucatini all'amatriciana. De sobremesa, faço croissant e crostata, que é um doce título italiano", contou.

Na China, porém, a vida gastronômica de Hernanes não é tão fácil.

"Por aqui eu cheguei a comer algumas coisas bem diferentes e até gostei. Mas teve uma vez que passei muito mal e me deu um bloqueio (risos). Aqui tem vários restaurantes muito bons, com todo tipo de comida, mas às vezes é arriscado", encerrou.