<
>

Pablo Escobar queria assassinar Ricardo Gareca com carro-bomba, revela matador de aluguel

Ricardo Gareca durante amistoso entre Peru e Alemanha, em setembro de 2018 Getty Images

Em entrevista ao jornal peruano El Popular, o ex-sicário (matador de aluguel) John Jairo Velásquez, mais conhecido como Popeye, revelou que o narcotraficante Pablo Escobar tinha vontade de matar Ricardo Gareca, ex-atacante da seleção argentina e hoje técnico do Peru.

Tudo aconteceu no final dos anos 80, quando Gareca, que foi um centroavante de grande qualidade, defendia o América de Cali, uma das equipes mais tradicionais da Colômbia e clube pelo qual foi duas vezes campeão nacional.

Escobar, que era o chefe do Cartel de Medellín, vivia em guerra com o Cartel de Cali, que tentou matá-lo diversas vezes. Como os concorrentes também comandavam o futebol do América, o Patrón pensou em assassinar jogadores da equipe, mas acabou desistindo.

"Pablo pensou muitas vezes em planejar algo contra os jogadores do América, pois estávamos em guerra. Ricardo Gareca sempre esteve na mira. No entanto, nada acabou acontecendo a ele", contou Velásquez.

"O amor de Pablo pelo futebol salvou Gareca, porque a ideia de Escobar era plantar uma bomba no carro que transportava os jogadores do América. Seria o mesmo que o Cartel de Cali tentou fazer contra a família de Pablo", relatou.

Com Gareca no ataque e o dinheiro dos irmãos Gilberto e Miguel Orejuela, que comandavam o Cartel de Cali, o América viveu um dos melhores momentos de sua história.

Além dos títulos nacionais de 1985 e 1986, os "Diabos Vermelhos" foram três vezes vice da Libertadores de maneira consecutiva, em 1985, 1986 e 1987 - Gareca foi o artilheiro desta última edição, com 7 gols.

Pablo Escobar, por sua vez, era torcedor do Independiente Medellín, mas torcia também pelo Atlético Nacional quando os Verdolagas disputavam a Libertadores.