<
>

Hurtado, carrasco do Boca Juniors na Copa Argentina, sofria na Venezuela com salário de R$ 4

Hurtado comemora após marcar para o Gimnasia sobre o Boca Juniors Gimnasia y Esgrima

Na última quinta-feira, o poderoso Boca Juniors foi eliminado nas oitavas de final da Copa Argentina pelo Gimnasia y Esgrima de La Plata. O gol da vitória dos "Lobos" foi feito pelo jovem atacante Jan Hurtado, que aproveitou cruzamento rasteiro da esquerda aos 44 minutos do segundo tempo, ganhou na disputa do zagueiro Magallán e colocou no fundo das redes de Rossi.

O tento marca uma virada e tanto na vida do jovem Hurtado, de apenas 18 anos, que há alguns meses passava por uma verdadeira crise em seu país natal, a Venezuela.

O centroavante de 1,81m foi revelado na base do Deportivo Táchira e joga pela seleção venezuelana desde a categoria sub-17, inclusive tendo atuado no Sul-Americano sub-17 e no Mundial sub-20 da categoria no ano passado - neste segundo, a Vinotinto foi vice-campeã.

No início da atual temporada, porém, Hurtado se envolveu em uma enorme polêmica com o Táchira. Ele não quis renovar seu contrato com a equipe, e o clube entrou com um processo na FVF (Federação Venezuelana de Futebol) acusando o pai e empresário do jogador de querer levá-lo para fora do país antes que ele completasse a maioridade.

A FVF julgou a reclamação procedente e manteve o atleta vinculado ao Deportivo, aplicando também uma sanção que o impediu de jogar por seis meses. Neste período, Hurtado seguiu vinculado ao Táchira, que teve que continuar pagando seu salário.

No entanto, em meio à crise econômica e humanitária da Venezuela, que teve uma inflação acumulada de 200.000% nos últimos 12 meses, logo ele se viu em situação mais do que complicada.

"Eles diziam que iam continuar pagando meu salário, que era de US$ 40 [R$ 161,77]. No entanto, depois começaram a me pagar US$ 1 [R$ 4,04]", contou o matador, em uma entrevista recente.

Após o fim do gancho de seis meses, Hurtado se mandou da Venezuela e tentou achar clubes no exterior.

Primeiro, passou por um período de testes no Club Brugge, da Bélgica, mas não assinou. Em seguida, foi à Argentina e acabou aprovado pelo Gimnasia y Esgrima, formalizando um contrato de três anos.

Sua estreia oficial aconteceu em no último dia 16, quando ele entrou no 2º tempo da vitória por 2 a 0 sobre o Patronato, pelo Campeonato Argentino. Uma semana depois, entrou em campo novamente pela liga nacional, contra o Rosario Central.

Seu momento de brilho, porém, veio na última quinta, quando ele ingressou na partida contra o Boca aos 20 da etapa complementar, na vaga de Guevgeozián, e fez o gol da vitória pela Copa Argentina, que classificou os platenses para pegar o Central Córdoba nas quartas.

Para quem estava ganhando R$ 4 por mês até outro dia, até que as coisas melhoraram...