<
>

Entenda, em números, por que Flamengo se esforçou e brigou para ter Paquetá contra o Corinthians

play
Jorge Nicola vê 'pior situação do mundo' para Paquetá e Cuéllar (1:56)

O Flamengo fretou um avião para trazer a dupla, que pode entrar em campo na semifinal da Copa do Brasil (1:56)

O Flamengo fretou um avião para poder contar com Lucas Paquetá no jogo de ida das semifinal da Copa do Brasil contra o Corinthians, nesta quarta-feira, às 21h45, apenas um dia depois do amistoso da seleção brasileira contra El Salvador nos Estados Unidos. Os números ajudam a entender esse esforço.

Segundo estatísticas do Trumedia, banco de dados exclusivo dos canais ESPN, o meia-atacante aparece entre os três primeiros colocados em indicadores defensivos e ofensivos, desempenhando uma função tática que nenhuma outra peça do elenco de Maurício Barbieri realiza com a mesma eficiência.

Com muita movimentação, ajudando em praticamente todas as funções, o jovem de 21 anos é imprescindível para o bom funcionamento na transição entre as faixas do campo em que atua.

Na temporada, contando apenas jogos da Copa do Brasil, Brasileirão e Libertadores, ele deu 2.367 toques na bola, ficando atrás apenas do lateral-esquerdo Renê, que possui 2.971.

Em passes, Paquetá ocupa a terceira posição. Com 1.341 toques completados, mais uma vez, o camisa 6 é o primeiro no quesito, seguido por Cuéllar, volante que atua ao seu lado - e é outro que retorna em voo fretado pelo Flamengo depois de defender a Colômbia em amistoso também nos EUA.

Nos desarmes, Renê segue como o primeiro da lista, com 98, seguido pelo volante colombiano, que tem 90, e pelo jogador da seleção brasileira, com 83.

Já nas estatísticas de ataque, Paquetá é destaque ainda maior. Nas finalizações, por exemplo, ele é o primeiro disparado. São 70 chutes, com 34 acertos, o que lhe rende um aproveitamento de 48,57%.

Para comparação, levando em conta só o Campeonato Brasileiro, apenas Ricardo Oliveira e Zé Rafael chutam mais que Paquetá. Enquanto o artilheiro do Atlético-MG tem aproveitamento de 56% em chutes certos e o meia do Bahia 46%, o flamenguista tem 53%.

Entre os maiores responsáveis por balançar as redes no clube rubro-negro, considerando apenas as principais competições do ano, Paquetá tem seis gols e só perde para Henrique Dourado e Éverton Ribeiro, que têm sete cada.

Nas assistências, também desprezando o Carioca, ele é o segundo, com cinco passes que possibilitaram companheiros a marcar. O líder no quesito é novamente Éverton Ribeiro, com sete.