<
>

Mais gols, mais assistência e dois títulos contra nenhum: por números, Salah melhor do que Messi não faz sentido

Pela primeira vez, em 12 anos, Lionel Messi deixou de aparecer na lista da FIFA com os três melhores jogadores de futebol do mundo. Desde 2007, quando foi preterido, juntamente com Cristiano Ronaldo, na votação que premiou Kaká, o argentino sempre aparecia entre os três finalistas.

Neste ano, além de CR7, Modric, Bola de Ouro na Copa do Mundo da Rússia, e Mohammed Salah, do Liverpool, vice-campeão europeu, compõem a lista final. Justo? Os números não concordam inteiramente com isso.

De acordo com a análise do departamento internacional de estatística da ESPN, levando-se em conta os jogos pelos seus clubes, Messi jogou mais vezes, fez mais gols, deu mais assistências e criou mais chances de gol que o egípcio - veja tabela abaixo, com dados relativos à última temporada:

Salah supera Messi, por pouco, em percentual de chutes que se tornam gols: 22% contra 16%. O egípcio também é superior em minutos necessários para se fazer gol, quesito no qual ambos extrapolam os 90 minutos de um jogo: Messi, com 99,3 x Salah, com 93,6.

Se o critério for títulos conquistados, Messi, campeão espanhol e da Copa do Rei, também fica à frente de Salah, quarto colocado com o Liverpool na Premiere League - em que pesem todas as particularidades das equipes e dos campeonatos.

Por fim, mais uma vez, levando-se em consideração as qualidades técnicas das equipes de cada um, se o critério for desempenho na Copa do Mundo, Messi foi às oitavas de final com a Argentina, enquanto o Egito foi eliminado ainda na primeira fase.