<
>

Diretor do Estrela Vermelha admite pressão de sérvios sobre Shaqiri na Champions

Nascido em Kosovo e naturalizado suíço, Shaqiri não terá vida fácil quando for enfrentar o Estrela Vermelha, da Sérvia, pela fase de grupos da Liga dos Campeões. Segundo Zvezdan Terzic, dirigente do clube sérvio, o meia-atacante do Liverpool terá de conviver com uma forte pressão em Belgrado, graças à sua militância em relação às questões políticas que envolvem seu país natal e a Albânia, de um lado, e Sérvia, do outro.

“Acho que Shaqiri vai ficar sob inacreditável pressão psicológica, porque ele sabe onde estará indo, sabe que o Estrela Vermelha é um símbolo da Sérvia e como é jogar no (Estádio) Marakana. Não sei se ele vai conseguir jogar”, afirmou o diretor, em entrevista concedida ao site Kurir.

O conflito que opõe kosovares e albaneses aos sérvios diz respeito a uma questão separatista. Kosovo é uma região localizada no interior dos limites da Sérvia, mas declarou independência de forma unilateral em 2008. O ato não é reconhecido pelos sérvios, que ainda consideram o país como parte de seu território. A independência é reconhecida por 111 dos 193 membros da Organização das Nações Unidas (ONU). O Brasil está entre os 82 que ainda não reconhecem.

Na Copa do Mundo de 2018, Shaqiri marcou um dos gols da vitória por 2 a 1 sobre a Sérvia, ainda na fase de grupos. Na comemoração, se manifestou em favor de sua terra natal, usando as mãos para fazer um gesto representativo do símbolo da bandeira da Albânia, uma águia negra de duas cabeças. Vale ressaltar que grande parte do povo kosovar é de origem albanesa. O sinal também foi feito por Granit Xhaka, outro jogador suíço com origem albanesa.

O confronto entre Estrela Vermelha e Liverpool, em território sérvio, está programado para o dia seis de novembro. O jogo é válido pela quarta rodada do Grupo C, que ainda conta com Paris Saint-Germain e Napoli. Zvezdan Terzic, porém, reitera que o clube se esforçará ao máximo para garantir a segurança do atleta em seus domínios, de modo a evitar problemas entre torcida e jogador.

“O Estrela Vermelha vai fazer de tudo para que Shaqiri sinta que veio para jogar futebol. É nosso dever protegê-lo no caso de situações indesejadas. Vamos ser bons anfitriões”, certificou.