<
>

No Boca Juniors, Tévez é 'esquecido' e vira torcedor no camarote

Vivo e sempre perigoso na Libertadores, o Boca Juniors não pode ser chamado de “time de Tévez”. O atacante argentino está ‘esquecido’ no clube e nem relacionado foi no empate deste domingo, fora de casa, contra o Huracán, pelo Campeonato Argentino.

Tévez esteve com os companheiros no ônibus, mas em vez de ir ao banco de reservas, ficou no camarote tomando mate e apenas torcendo. E para o duelo desta quinta-feira, contra o Libertad-PAR, pelo jogo de volta das oitavas de final, o “Apache” deve ficar de fora mais uma vez.

“Escolhi onze jogadores que eram o melhor para o Boca e nestes três dias vamos decidir o melhor para enfrentar o Libertad. Há uma consideração especial no caso de Tévez, por sua história e idolatria, mas também há 26 ou 27 jogadores no elenco que nos levam a colocar o melhor, creio, e a ser sempre honesto com a equipe”, disse o treinador Guillermo Schelotto.

Uma das ações que tiraram o espaço de Tévez, por exemplo, foi a contratação do atacante Mauro Zárate. Sem um grande futebol apresentado, ‘Carlitos’ deve ajudar o Boca mais fora do que dentro de campo.