<
>

Arsene Wenger apóia Henry como técnico, mas com ressalvas

Ex-técnico do Arsenal, Arsene Wenger apóia a ideia de que Thierry Henry, lenda no clube, venha a se tornar técnico principal de um clube ou seleção algum dia. Mas faz ressalvas: se quiser mesmo a função, terá de fazer sacrifícios para ter sucesso.

Wenger trouxe Henry para o Arsenal em 1999. Em menos de oito anos, o jogador se tornaria o maior artilheiro da história dos Gunners.

Henry tornou-se auxiliar da seleção belga em 2016. O comentário positivo de Wenger surgiu a partir de rumores dando conta de que o ex-jogador francês é cotado para comandar o Bordeaux.

"Ele quer se tornar técnico, ele é inteligente e tem as qualidades", disse Wenger em entrevista. "A questão existencial que todos temos de nos fazer é se estamos dispostos a sacrificar nossas vidas pela profissão de treinador", disse.

Wenger foi perguntado se ele sentia ter sacrificado a própria vida para comandar o Arsenal.

"Sim, é claro", disse ele. "Ser apaixonado (pela profissão) é uma atitude egoísta. Quando você é apaixonado, você rouba tempo daqueles que ama e a quem você poderia ter dado muito mais."

Wenger deixou o Arsenal em maio e ainda não decidiu ainda o que fará de se futuro.

"Eu decidi não me decidir", disse ele. "Eu estive 'intoxicado' por tanto tempo que prometi a mim mesmo não decidir nada antes de setembro"