<
>

Palmeiras vence Cerro Porteño com dois gols de Borja e encaminha vaga nas quartas da Copa Libertadores

play
Óbvia, previsível: Linha de Passe analisa 'Na Lata' atuação do Palmeiras contra o Cerro (0:34)

Mesa de comentaristas falou sobre os 2 a 0 no Paraguai (0:34)

O Palmeiras deu um passo gigante para ir às quartas da Libertadores.

Nesta quinta-feira, o Verdão bateu o Cerro Porteño-PAR por 2 a 0, em pleno estádio General Pablo Rojas, em Assunção, e deixou a classificação para a próxima fase praticamente encaminhada.

Um triunfo que teve a cara de Luiz Felipe Scolari, o "velho-novo" treinador alviverde, que controlou a partida como quis e ainda viu seu time ganhar com mérito, como nos tempos da Parmalat.

O atacante Miguel Borja foi o herói palestrino, marcando duas vezes no segundo tempo e se consolidando como vice-artilheiro do torneio da Conmebol, com oito gols.

Agora, falta apenas um tento para igualar o também centroavante Morello, do Independiente Santa Fe-COL, time que já foi eliminado da competição.

Palmeiras e Cerro Porteño fazem o jogo de volta no dia 30 de agosto, às 21h45 (de Brasília), no Allianz Parque.

Devido ao resultado desta quinta, o time alviverde pode até perder por um gol de diferença em casa que ainda assim se classifica para as quartas, fase em que enfrentará o vencedor do confronto entre Corinthians e Colo Colo-CHI.

Pelo Campeonato Brasileiro, o time alviverde joga neste domingo, às 19h, contra o Vasco, também na arena alviverde.

O JOGO

Aos 57 segundos do primeiro tempo, o Palmeiras já viu que a missão no Paraguai seria difícil: em um lance normal de jogo, o árbitro Fernando Rapallini deu cartão amarelo para o meia Moisés, do Palmeiras, já pendurando um alviverde.

Nos primeiros 20 minutos, porém, pouca coisa aconteceu. Os dois times perdiam muitas bolas em disputas no meio- campo, e as chances de gol inexistiram. A torcida do Cerro, porém, cantava animada em Assunção.

A primeira oportunidade real de alguém marcar saiu aos 28 minutos, quando Rodrigo Rojas aproveitou sobra de bola na direita da grande área e emendou um voleio que passou zunindo sobre o travessão de Weverton.

No entanto, a partida seguiu horrível, e nada mais aconteceu até o intervalo.

Na volta dos vestiários, porém, o Verdão achou seu gol logo no primeiro lance de ataque: após cruzamento para a área, a zaga do Cerro falhou feio e Borja aproveitou a sobra, chutando de perna esquerda para estufar as redes de Silva.

7º gol do colombiano na Libertadores - ele é o vice-artilheiro da competição.

Mas apesar do tento palestrino, a partida seguiu morna, com os paraguaios insistindo em jogadas aéreas sem perigo, e os brasileiros controlando bem na defesa. Weverton apenas assistia à partida sem se preocupar.

A parada foi resolvida aos 25 minutos, em uma grande jogada coletiva do Verdão. Primeiro, Borja deu enfiada para Diogo Barbosa, que bateu cruzado e viu Silva defendeu. No entanto, Moisés aproveitou a sobra e deu excelente passe para o próprio Borja, que finalizou com precisão para ampliar a conta em Assunção.

Com o resultado no bolso, Luiz Felipe Scolari tirou Hyoran e colocou Jean para reforçar a marcação, mas chamou os donos da casa para cima.

Aos 35, os paraguaios tiveram boa chance para diminuir, depois que Benítez saiu na cara de Weverton em bate-rebate, mas Antônio Carlos se atirou corajosamente na bola e conseguiu afastar para escanteio, salvando os brasileiros.

No entanto, o Verdão depois controlou o placar até o final.

FICHA TÉCNICA
CERRO PORTEÑO-PAR 0 x 2 PALMEIRAS

Local: Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (PAR)
Data: 9 de agosto de 2018, quinta-feira
Horário: 21h45 horas (de Brasília)
Árbitro: Fernando Rapallini (ARG)
Assistentes: Juan Belatti e Gabriel Chade (ambos ARG)
Cartões amarelos: Churín, Rodrigo Rojas e Palau (CER); Dudu e Moisés (PAL)

GOL
PALMEIRAS: Borja, ao 1º e aos 25 minutos do segundo tempo

CERRO PORTEÑO: Silva; Raúl Cáceres, Marcos Cáceres, Escobar e Acosta (Arzamendia); Palau, Jorge Rojas (Benítez), Rodrigo Rojas (Valdez), Novick e Ruíz; Churín Técnico: Luis Zubeldía

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés (Thiago Santos); Dudu, Hyoran (Jean) e Borja (Deyverson) Técnico: Luiz Felipe Scolari